Resenha: Torchwood: Miracle Day – 4×07 – Immortal Sins

[SPOILERS] Gwen: “[…] And I swear, for her sake, I will see you killed like a dog right in front of me if it means her back in my arms. Understood?” Jack: “Understood. And let me tell you, now that I’m mortal, I’m gonna hang on to this with everything I’ve got. I love you, Gwen Cooper, but I will rip your skin from your skull before I let you take this away from me. Understood?” Gwen: “Understood.”

Ao sétimo episódio da temporada, “Torchwood: Miracle Day” dá-nos finalmente um descanso das novas personagens e foca-se naqueles que nos atraíram à série desde sempre: o Captain Jack Harkness (John Barrowman) e a Gwen Cooper (Eve Myles). O episódio é deles (especialmente dele) e é nele que a temporada se transcende. “Immortal Sins” divide-se entre vários flashbacks sequenciais que nos levam a Nova Iorque nos anos 1920 e uma linha de argumento que transita do final do episódio anterior, num momento em que a Gwen é chantageada a entregar o Jack de forma a salvar a sua família. E ambas as linhas de argumento tiveram vários pontos fortes. Continuar lendo “Resenha: Torchwood: Miracle Day – 4×07 – Immortal Sins”

Resenha: Torchwood: Miracle Day – 4×06 – The Middle Men

[SPOILERS] Este não foi claramente dos melhores episódios que “Torchwood” nos apresentou até hoje. De longe, mesmo. Escrita demasiado desleixada que coloca diferentes personagens a tomar atitudes ridículas foi aquilo que mais me despertou a atenção no mesmo e, quando assim é, torna-se difícil conseguir sobrepor os méritos aos deméritos. À semelhança dos episódios anteriores, este “The Middle Men” foca-se em apenas três linhas de argumento paralelas (duas que são continuação directa do episódio anterior e uma que que introduz não só novos personagens como adiciona também alguns elementos novos à mitologia) mas distintas e deixa de fora, pela primeira vez na temporada toda a história do Oswald (Bill Pullman).

Assim, temos a continuação das linhas de argumento da Gwen (Eve Myles), que continua a tentar salvar o seu pai no País de Gales , e o Rex (Mekhi Phifer) e a Esther (Alexa Havins) que continuam no “overflow camp” de San Pedro, na área de Los Angeles, onde têm de lidar com os responsáveis pela morte da Dra. Vera Juarez. Enquanto isso, o Jack (John Barrowman) procura um dos homens com poder dentro da Phicorp na tentativa de encontrar respostas e consegue mesmo descobrir que o “Miracle Day” pode estar relacionado com algo a que chamam de “The Blessing”. Mas passemos ao que interessa. Continuar lendo “Resenha: Torchwood: Miracle Day – 4×06 – The Middle Men”

Resenha: Torchwood: Miracle Day – 4×05 – Categories of Life

[SPOILERS] Se há algo em que “Torchwood” tem sido pródiga durante esta temporada é na criação de todo um universo pormenorizado sobre como a população mundial se ajustaria a um acontecimento que mudaria radicalmente o nosso planeta como hoje o conhecemos. “Categories of Life” é mais uma prova disso e introduz um novo conceito na narrativa desta quarta temporada, conceito esse que se junta a um rol bem interessante de formas de explorar esta história.

De maneira a tentar lidar com o excesso de população, vários países estão a aderir não só à ideia de se criarem campos para colocar todas as pessoas que padeçam de alguma doença ou ferimento como também a um novo sistema de categorias que servem para catalogar as populações, com os elementos da Categoria 1 a pertencerem ao grupo de pessoas que deveriam estar mortas ou que não tenham qualquer tipo de reacção cerebral, a Categoria 2 referente a pessoas que sofreram algum ferimento ou alguma doença mas estarão em recuperação, e a Categoria 3 onde se inserem todos os outros, ou seja, quem esteja a levar uma vida completamente normal. Este adicionar constante de camadas à história é sempre bem-vindo, pois não só enriquece a mesma como a dota de um realismo (claro que sempre dentro do universo criado pela série) e uma credibilidade indispensável para a sua consistência. Continuar lendo “Resenha: Torchwood: Miracle Day – 4×05 – Categories of Life”

Resenha: Torchwood: Miracle Day – 4×03 – Dead of Night

[SPOILERS] “Dead of Night” foi o episódio mais desequilibrado até ao momento, e com pena minha uma vez que foi escrito por uma das argumentistas cujo trabalho mais aprecio, a Jane Espenson (“Buffy the Vampire Slayer”, “Battlestar Galactica”).

Ainda assim, houve alguns elementos de destaque e prefiro começar por aí:

  • O início do episódio, com finalmente uma nova equipa da Torchwood a dar os seus primeiros passos e a introdução dos “The Soulless”, um grupo de pessoas que acredita que, devido ao “milagre”, a Humanidade perdeu as suas almas. O facto de termos novos e velhos personagens a funcionar como uma unidade trouxe não só uma nova dinâmica à série como, e já tinha tido oportunidade de referir isto anteriormente, o Rex (Mekhi Phifer) e a Esther (Alexa Havins) são muito mais apelativos como personagens quando estão na companhia dos personagens mais antigos.
  • O sentido de humor, bastante presente, é claramente uma mais-valia na série, isto apesar de nem sempre ser o mais acutilante.
  • Duas cenas mais emocionais que deram um outro toque de qualidade ao episódio e permitiram o crescimento das personagens: a primeira, aquela partilhada entre a Esther e a Gwen (Eve Myles), quando a primeira fala da sua família (concretamente a irmã), particularmente bem interpretada e comovente; a segunda, quando o Jack (John Barrowman) telefona à Gwen e tenta de alguma forma reparar a sua relação mas com ela claramente a mostrar que tem prioridades diferentes (ele diz-lhe que não precisam de mais ninguém procurando a concordância dela, mas ela perde interesse na conversa assim que lhe põem a imagem da família à frente). Continuar lendo “Resenha: Torchwood: Miracle Day – 4×03 – Dead of Night”

Resenha: Torchwood: Miracle Day – 4×02 – Rendition

[SPOILERS] “[…]Trust me. Just seat back and relax. The next six hours are gonna be filled with boredom followed by monotony.”

 Tive um pequeno problema de foco de atenção neste episódio. E acho que tenho uma explicação muito simples para o facto. A verdade é que tudo o que se passou no interior do avião durante o episódio deixou-me bastante satisfeito. Foi divertido, tenso, emocionante e de ficar agarrado ao sofá mesmo quando seria óbvio que o Captain Jack (John Barrowman) nunca iria morrer. O problema é que com o Jack e a Gwen (Eve Myles) confinados ao interior de um avião enquanto são transportados para os EUA, a série decide explorar alguns dos novos personagens e isso faz com que o episódio acabe por deixar um sentimento a desequilíbrio, uma vez que não tenho grande empatia por praticamente todos os novos personagens.

No início desta temporada têm sido introduzidos vários novos personagens (neste episódio surgem mais uns quantos) mas, claramente, ou por serem ainda muito “frescos” (precisando de mais uns episódios para se consolidar) ou por simplesmente não serem bons o suficiente, sempre que os personagens antigos da série não estão em cena dou por mim a desejar o seu regresso rapidamente. A Esther (Alexa Havins) e a Dra. Vera Juarez (Arlene Tur) continuam a deixar-me algo indiferente, o Oswald (Bill Pullman) tem um certo apelo mas continuo sem perceber exactamente o lugar dele nesta história, e quanto ao Rex (Mekhi Phifer), apesar de neste episódio ter conseguido prender-me mais a atenção (provavelmente por estar na companhia dos dois personagens veteranos), principalmente devido a algum sentido de humor que exibiu, é o próprio desempenho do Mekhi Phifer que continua a deixar-me algo de pé atrás relativamente ao personagem. Continuar lendo “Resenha: Torchwood: Miracle Day – 4×02 – Rendition”