Quadrinhos Resenhas - Séries

Resenha de Série: GAVIÃO-ARQUEIRO


Hawkeye (2021)
Elenco: Jeremy Renner, Hailee Steinfeld, Vera Farmiga, Florence Pugh, Maya Lopez, Vincent D’Onofrio, Tony Dalton, Linda Cardellini
Criação: Jonathan Igla
Direção: Vários
Cotação: 3,0/5,0

O império da Marvel em 2021 atingiu níveis ainda mais impressionantes com a chegada das séries e minisséries exibidas no streaming da Disney. Começou muito bem com WANDAVISION, a melhor até o momento, e entre altos e baixos chegou neste fim de ano com a despretensiosa GAVIÃO ARQUEIRO (2021), uma minissérie muito simpática que segue aquela linha de cenas de ação meia-boca e dramaturgia pouco satisfatória das anteriores (ou da maioria delas, pelo menos). Mas há alguns trunfos numa série que conta com jovens atrizes belas e carismáticas que injetam sangue novo e energia nos projetos presentes e futuros da companhia.

O primeiro grande mérito é a presença de Hailee Steinfeld no papel de Kate Bishop. Embora a personagem tenha sido criada em 2005 por Allan Heinberg e Jim Cheung para o título dos Jovens Vingadores, a minissérie GAVIÃO ARQUEIRO tem o espírito inspirado mais na excelente série do herói escrita por Matt Fraction e desenhada por Alexandre Aja. Os próprios créditos (que aparecem no final e não no começo dos episódios) emulam elementos dos quadrinhos, como o uniforme roxo e o cãozinho caolho.

Falo de Kate Bishop antes do próprio Clint Barton pois a personagem é que parece dar mais gás à série. E isso parece que faz parte de um ritual de passagem de bastão que vem acontecendo na Marvel, com a despedida de super-heróis importantes, como Homem de Ferro, Viúva Negra, Capitão América e o natural envelhecimento dos atores e atrizes. Ao mesmo tempo, a Marvel está apostando em novos personagens que servirão para substituí-los.

O interessante da dinâmica de Barton e Bishop na minissérie é que, enquanto Barton está cansado e querendo se aposentar e passar o natal com família, Kate está animadíssima, cheia de fôlego e vontade de começar a ser uma super-heroína. Fã de Barton desde que o viu lutando nos eventos do primeiro filme dos Vingadores, e dominando o arco e a flecha, ela traz uma energia muito mais gostosa de ver. E eis que, mais à frente, a série nos presenteia com o encontro de Kate com Yelena Belova (Florence Pugh), outra jovem atriz surgida recentemente, no filme VIÚVA NEGRA, e cuja química com Kate é tão agradável de ver que a vontade que tem é que tenhamos uma série só com as duas.

A cena de Yelena chegando ao apartamento em que Kate está instalada é talvez o ponto alto de toda a minissérie. Ela prepara um macarrão instantâneo, fala com aquele inglês com sotaque russo engraçado, e imediatamente as duas se gostam, embora Kate tema pelo fato de que Yelena pretende matar seu amigo Clint Barton, culpando-o pela morte de sua irmã Natasha, ocorrida em VINGADORES – ULTIMATO. Mais adiante, no episódio seis, a série trará outro embate, dessa vez mais dinâmico, entre as duas personagens. Há a cena do elevador e depois aquela em que uma delas reconhece que ambas já gostam uma da outra. Ou seja, se rolar um filme ou série sobre os Jovens Vingadores, com as duas personagens (ou projeto semelhante), já teremos um motivo para comemorar.

A qualidade dos episódios de GAVIÃO ARQUEIRO é crescente, pelo menos até o quinto. O que estraga um bocado o último é a presença de cena de Vincent D’Onofrio, que já havia interpretado Wilson Fisk, o Rei do Crime, na série do Demolidor. Não aprovei a escolha do ator para reprisar o personagem, mas tudo envolvendo o vilão é feito de escolhas ruins, até nos figurinos. Sem falar que, apesar de ser um homem que tem a força de arrancar a porta de um carro, ele é vencido facilmente. Mas podemos mais uma vez colocar a culpa na falta de um trabalho melhor de coreografia e lutas nessas séries da Marvel.

Há também uma outra personagem feminina importante, Eco (Maya Lopez). Surda e aqui na minissérie também ela usa uma prótese na perna (uma novidade, em comparação com os quadrinhos), ela é uma protegida de Fisk, embora não saiba que o Rei do Crime é responsável pela morte de seu pai. No futuro teremos uma minissérie dedicada à personagem, mas há em GAVIÃO ARQUEIRO um episódio que já apresenta um pouco seu passado. Infelizmente trata-se de uma personagem que não se desenvolve bem na conclusão. Mas talvez não tenha havido tempo hábil para dar conta de tantas coisas, já que há ainda os casos envolvendo a personagem da mãe de Kate (Vera Farmiga), do Espadachim, do capanga do Rei e aqueles mafiosos meio toscos apresentados para, talvez, dar um ar mais leve à obra. Afinal, trata-se da minissérie de Natal da Marvel.

Ailton Monteiro

0 comentário em “Resenha de Série: GAVIÃO-ARQUEIRO

Comente o conteúdo da postagem

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: