Resenhas - Séries

Resenha de Série: PERDIDOS NO ESPAÇO – 1ª TEMPORADA


Lost in Space (2018)
Elenco: Toby Stephens; Molly Parker, Taylor Russel, Mina Sundwall, Max Jenkins, Parker Posey, Ignacio Serricchio
Roteiro: Matt Sazama, Burk Sharpless, etc.
Direção: Neil Marshall, etc.
Cotação: 4/5

ATENÇÃO: caso você ainda não tenha assistido à primeira temporada de Perdidos no Espaço, o texto a seguir pode conter Spoilers

Para nós, geeks de uma certa idade, a série de ficção científica e de aventura dos anos 1960 Perdidos no Espaço (Lost in Space), de Irwin Allen, conquistou um lugar especial em nossos corações – seja quando assistida em seu período original, de 1965 a 1968 (1966 a 1969 no Brasil), ou nas reprises a partir da década seguinte. O conceito, retirado dos quadrinhos da Gold Key The Space Family Robinson, basicamente é uma releitura do clássico livro de 1812 de Johann David Wyss, O Robinson Suíço (The Swiss Family Robinson), porém trocando a ilha remota e suas palmeiras por espaçonaves, armas lasers e planetas exóticos. Perdidos no Espaço foi lançada pela CBS dos EUA em 15 de setembro de 1965, e durou três temporadas progressivamente mais voltadas ao humor, antes de ser cancelada.

Ignorando solenemente o filme de 1998, uma nova e ambiciosa versão deste nostálgico programa familiar foi criada pelos produtores executivos e roteiristas Matt Sazama e Burk Sharpless, e ela revela ser uma revigorante missão rumo às misteriosas profundezas do espaço. A dupla de roteiristas tem tido uma agenda cheia nos últimos tempos, sendo os autores dos scripts de Drácula – A História Nunca Contada, O Último Caçador de Bruxas, Deuses do EgitoPower Rangers. Quando a Legendary Pictures ofereceu a eles o projeto de Perdidos no Espaço, eles não tiveram dúvidas em resgatar uma das séries favoritas de suas infâncias.

A Netflix encomendou uma temporada com 10 episódios para se juntar ao seu variado catálogo, e a série, de produção ambiciosa e visualmente deslumbrante, encaixou-se perfeitamente no objetivo urgente da empresa de oferecer mais conteúdo próprio, combinando apelo familiar e valores de produção impressionantes. Perdidos no Espaço é estrelada por Toby Stephens, Molly Parker, Ignacio Serricchio, Taylor Russell, Maxwell Jenkins e Parker Posey, e de início se afasta da premissa mais simples da série original. Ao invés de levar uma única família perdida de planeta em planeta, agora a icônica nave Jupiter 2 faz parte de um comboio de colonizadores, acoplado a uma nave-mãe. Após ela ser atacada por um robô alienígena, as naves colonizadoras fogem e acabam pousando em um planeta desconhecido.

Os temas da família e da sobrevivência em ambientes hostis ainda são o foco central, mas há uma inteligente abordagem do amigo robótico de Will Robinson que é uma brilhante peça narrativa. Sim, o agora angular androide ainda diz “Perigo Will Robinson!”, mas a ligação entre os dois possui origens interessantes, e os fãs ficarão surpresos com as muitas reviravoltas da trama. O tom predominante de Perdidos no Espaço é puramente “Spielbergiano”, imbuído de um caloroso senso de deslumbramento em meio a conflitos humanos, sendo tudo acentuado por coloridos e sensacionais efeitos visuais e cenas de ação dignas de blockbusters de verão.

Outra mudança importante na série é o gênero do infame personagem do Dr. Zachary Smith (Oh dor, Oh dor!), interpretado admiravelmente na série clássica por Jonathan Harris. Desta vez, temos a talentosa atriz cult Parker Posey assumindo a identidade do verdadeiro Dr. Smith (interpretado por Bill Mumy, o Will Robinson original, em uma ponta bem engendrada), que se junta aos pioneiros Robinsons enquanto eles tentam sobreviver no difícil e perigoso meio ambiente do seu lar não intencional e se reunir às outras famílias desgarradas.

Todos os episódios da série, alguns dirigidos por Neill Marshall, estreiam nesta agourenta sexta-feira, 13 de abril, mas eles não sofrem da maldição de que normalmente sofrem a maior parte das refilmagens de clássicos queridos. A série nos traz efeitos visuais espetaculares, e cenas que se destacam em meio a flashbacks da família Robinson na Terra, antes da missão, que explicam o desastre que se abateu sobre o planeta, levando à desesperada busca nas estrelas por um destino seguro no sistema de Alfa Centauro.

Em uma recente entrevista à Entertainment Weekly, o showrunner Zack Estrin enfatizou a natureza mais realista do programa e seu tom equilibrado, chamando-o de “uma verdadeira aventura familiar, na linha do Jurassic Park original”. Como diria o Dr. Smith original, não seja uma “lata de sardinha enferrujada” para perder esta reluzente e nova saga sci-fi, disponível a partir de hoje na Netflix.

Jeff Spry [via Syfy Wire]

3 comentários em “Resenha de Série: PERDIDOS NO ESPAÇO – 1ª TEMPORADA

  1. João Ferreira

    Comecei a ver a série e estou achando-a bem divertida.

    Curtir

  2. Pingback: Resenha de Trilha Sonora: LOST IN SPACE (DELUXE) – Christopher Lennertz | SCI FI do Brasil - O Portal da Ficção Científica em Português

  3. Pingback: Assista a mais um Featurette de PERDIDOS NO ESPAÇO | SCI FI do Brasil - O Portal da Ficção Científica em Português

Comente o conteúdo da postagem

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: