Resenha de Trilha Sonora: THE SHAPE OF WATER – Alexandre Desplat


Música composta por Alexandre Desplat
Selo: Decca Records
Formato: CD, Digital
Lançamento: 01/12/2017
Cotação

Com A Forma da Água (The Shape of Water, 2017), o diretor Guillermo Del Toro nos entrega mais um dos contos de fadas sombrio de que tanto gosta. Com toques dos filmes sci fi de terror dos anos 1950 – a inspiração mais óbvia é O Monstro da Lagoa Negra (The Creature From The Black Lagoon, 1954) e mesmo de E.T. – O Extraterrestre (E.T. – The Extraterrestrial, 1982), o longa é uma agradável releitura para adultos de A Bela e a Fera, que acaba por ser a melhor obra do cineasta desde O Labirinto do Fauno (El Laberinto del Fauno, 2006).

Nele acompanhamos o improvável romance entre a solitária e muda Elisa (a ótima Sally hawkins), que em 1962 trabalha como servente em um centro de pesquisas do governo estadunidense, e um humanoide anfíbio trazido do Amazonas (Doug Jones), ali mantido como cobaia de experiências relativas à Corrida Espacial. A criatura é constantemente torturada pelo sádico chefe de segurança, Strickland (Michael Shannon), e está destinada a ser vivissecada para estudos. Apiedada, Elisa se aproxima em segredo da criatura e descobre que ela é um ser inteligente, capaz de se comunicar por gestos e reagir a emoções. Com a ajuda de dois amigos e de um cientista do centro, que na verdade é um espião russo de bom coração, Elisa decide libertar a criatura e levá-la para o seu apartamento, localizado em cima de um velho cinema.

O filme, além de ter conquistado os prêmios máximos do Festival de Veneza e do Globo de Ouro, está indicado em nada menos que 13 categorias do próximo Oscar, inclusive nas principais – Melhor Filme, Melhor Diretor, Melhor Atriz, e por aí vai. Uma das indicações se refere à trilha sonora original composta pelo francês Alexandre Desplat (A Garota DinamarquesaValerian e a Cidade dos Mil PlanetasA Luz Entre Oceanos), sem dúvida merecedora de levar o prêmio. Desplat, possuidor de sensibilidade e de estilo únicos entre os compositores contemporâneos do Cinema, criou uma partitura original belamente interpretada pela London Symphony Orquestra, que se adéqua perfeitamente  a esta fábula para maiores, valorizando sobremaneira o filme de Del Toro.

As três primeiras faixas – The Shape Of Water, The Creature e  Elisa’s Theme – apresentam os temas que formam a base do score. O principal surge na faixa que leva o título do filme, e dá o tom do que ouviremos a seguir. Sua melodia ondulante e cálida adequadamente remete à música romântica do passado, com uma refinada orquestração que inclui acordeão, gaita de boca, assobio (do próprio Desplat, também ouvido em outros pontos do score) e uma grande seção de flautas.  A jazzística canção You’ll Never Know, aqui interpretada por Renée Fleming, é seguida por The Creature, que como o título indica é dedicada à criatura. Nesta faixa que ficaria perfeita em um filme dos anos 1950, cordas graves e flautas pontuam a ameaça e, principalmente, o mistério representado pelo homem anfíbio. Ao chegarmos em Elisa’s Theme, descobrimos o melhor dos temas da trilha sonora. Com sua alegre e romântica melodia levada por flautas, acordeão e assobio, ele reflete a graça e o otimismo da personagem Elisa.

Com suas fundações estabelecidas, o score segue com Fingers, uma faixa dedicada à criatura (mais especificamente, a uma ação violenta dela em relação a Strickland), e Spy Meeting, que dá ao primeiro encontro entre os espiões russos um tom cômico e mais leve. Na deliciosa Elisa and Zelda, temos uma variação do tema de Elisa para sublinhar a amizade entre ela e a colega interpretada por Octavia Spencer. Five Stars General traz uma versão mais triste e melancólica do tema principal, enquanto que em The Silence of Love os temas de Elisa e da Criatura se juntam em uma mesma faixa, que novamente possui um tom distinto graças ao acordeão e ao assobio. Na interessante Egg, que marca a interação inicial entre Elisa e o anfíbio (quando ela lhe dá o primeiro ovo para comer), Desplat emprega o bonito tema romântico de forma alternada com acordes de tensão e suspense.

Passando pelo suspense de That Isn’t Good e o romantismo de Underwater Kiss, chegamos à longa The Escape, que acompanha a fuga de Elisa e da criatura do centro de pesquisas. Em seus quase 11 minutos de duração, Desplat emprega algumas de suas marcas registradas para marcar o suspense, como timbres eletrônicos e de piano, bem como sua conhecida música para ação que emprega metais, madeiras e cordas agitadas. Com Watching Ruth o romance retorna e permanece por quase todo o restante da trilha, exceto pela militarista Decency e He’s Coming For You, onde o compositor emprega a música para monstros típica, semelhante à do seu Godzilla. As quatro faixas que seguem baseiam-se no romance e na emoção, iniciando pelo piano de Overflow of Love. Em Without You os temas dos dois personagens principais se reencontram, e Rainy Day inicia de forma dissonante mas logo retorna ao tom melodioso. O score encerra em alta com a encantadora e emotiva A Princess Without a Voice, que sela o destino de Elisa e seu amado anfíbio.

O álbum ainda inclui mais seis canções ouvidas no longa, incluindo Chica Chica Boom Chic, da nossa inesquecível Carmen Miranda, e uma segunda versão de You’ll Never Know com Renée Fleming. Sem dúvida elas dão um toque especial à experiência auditiva, seja no filme ou no álbum, porém não há dúvida que é o score de Desplat que mais brilha. Das trilhas sonoras de 2017 que ouvi foi a que mais gostei (juntamente com a de Assassinato no Expresso do Oriente), e torço para que ela saia vitoriosa no Oscar.

Faixas:

1. The Shape Of Water  3:42
2. You’ll Never Know [feat. Renée Fleming]  4:38
3. The Creature  1:46
4. Elisa’s Theme  2:36
5. Fingers  2:09
6. Spy Meeting  1:42
7. Elisa And Zelda  1:10
8. Five Stars General  1:31
9. The Silence Of Love  1:35
10. Egg  2:13
11. That Isn’t Good  1:43
12. Underwater Kiss  2:12
13. The Escape  10:57
14. Watching Ruth  2:18
15. Decency  2:23
16. He’s Coming For You  1:39
17. Overflow Of Love  2:56
18. Without You  2:30
19. Rainy Day  3:12
20. A Princess Without A Voice  1:50
21. La Javanaise (Madeleine Peyroux)  4:10
22. I Know Why (And So Do You) (Glenn Miller & His Orchestra)  2:58
23. Chica Chica Boom Chic (Carmen Miranda)  2:19
24. Babalu (Caterina Valente & Silvio Francesco)  2:51
25. A Summer Place (Andy Williams)  2:35
26. You’ll Never Know (Alternative Version) [feat. Renée Fleming]  6:49

Duração: 76:24

Jorge Saldanha

Anúncios

2 comentários sobre “Resenha de Trilha Sonora: THE SHAPE OF WATER – Alexandre Desplat

  1. Pingback: A FORMA DA ÁGUA é o grande Vencedor do Osar 2018 – SCI FI do Brasil – O Portal da Ficção Científica em Português

  2. Pingback: A FORMA DA ÁGUA é o grande Vencedor do Oscar 2018 – SCI FI do Brasil – O Portal da Ficção Científica em Português

Comente o conteúdo da postagem

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s