Resenha de Trilha Sonora: JONNY QUEST – Hoyt Curtin, Ted Nichols


jonny_quest_lllcdMúsica composta por Hoyt Curtin, Ted Nichols
Selo
La-La Land Records
Formato
: 2 CD
Lançamento: 13/10/2016
Cotação: star_5

Nos EUA, na maior parte os desenhos animados da TV aberta são exibidos aos sábados pela manhã – horário em que a criançada está liberada de seus afazeres escolares. Contudo, algumas animações de apelo também junto aos adultos ganham espaço à noite, no Prime Time (o Horário Nobre deles). Como exemplo temos a longeva Os Simpsons, porém décadas atrás muitas séries de animação também se consagraram nessa faixa horária. A produtora Hanna-Barbera foi pioneira, nos anos 1960, ao produzir desenhos animados para o Prime Time, iniciando com Os Flintstones, que inovou ao fugir do formato de histórias curtas de dez minutos adotado pela produtora no final da década anterior, apresentando episódios completos com meia hora de duração. A produtora realizou em seguida Os Jetsons e Manda-Chuva, que apesar de não repetirem o sucesso de Os Flintstones, ajudaram a estabelecer a presença de desenhos animados no Horário Nobre. Todas estas produções, contudo, não fugiam às características consagradas até então no gênero: eram protagonizadas por bichos falantes ou, no máximo, por humanos caricaturais, com ênfase no humor e na fantasia.

Em 1964 o mundo estava mergulhado na Guerra Fria, e nas telas de cinema o espião James Bond fazia enorme sucesso combatendo vilões megalomaníacos e inimigos da democracia. ocidental. Fatalmente, aventuras do gênero acabariam chegando à TV, e naquele ano a Hanna-Barbera decidiu inovar mais uma vez, lançando a primeira série de aventuras em desenho animado no Prime Time: Jonny Quest. O programa estreou na emissora ABC no dia 18 de setembro de 1964, e a partir desta data foram exibidos 26 episódios onde acompanhávamos as aventuras do garoto de 12 anos Jonathan (Jonny) Quest, filho do famoso cientista e consultor do governo norte-americano, Dr. Benton Quest. Juntamente com seu amigo, o menino indiano Hadji, o guarda-costas do serviço secreto Roger “Race” Bannon, e o cãozinho buldogue Bandit, Jonny viajava ao redor do mundo enfrentando vilões de países inimigos (o mais memorável foi o Dr. Zin, um asiático que apareceu em quatro episódios), nativos hostis, monstros e animais ameaçadores.

Apesar da animação simples, o desenho tinha um visual atraente, típico de uma história em quadrinhos juvenil. Os personagens eram desenhados e se comportavam de forma mais realista, à exceção de Bandit, que seguia a tradição dos animais da Hanna-Barbera (apesar de não falar), e era o personagem cômico do grupo. Os responsáveis pelo visual incomum para a época foram o quadrinista Doug Wildey e o ilustrador Alex Toth, que desenvolveram o formato do programa e trouxeram para a equipe profissionais ligados aos quadrinhos. Aliás, dos quadrinhos também vieram as inspirações no Tintim de Hergé. As tramas dos episódios eram voltadas à aventura e com elementos de espionagem e ficção científica, o que não impedia que, eventualmente, o sobrenatural acabasse sendo o tema de alguns episódios. Como nos filmes de James Bond, um dos destaques da série eram os gadgets tecnológicos do Dr. Quest, como comunicadores e computadores portáteis, armas lasers, o jato que pousava e decolava verticalmente, cinturões-foguete e outras criações, muitas das quais hoje já são realidade.

Ainda lembro da primeira vez que assisti a um episódio de Jonny Quest, em 1966. Há certas experiências que, na hora, você sabe que serão cruciais na sua vida, e acredite, por mais tolo que isso possa parecer: no momento em que terminou a cinematográfica abertura, onde ao som do memorável tema de Hoyt Curtin um garoto era perseguido por indígenas, soldados lutavam contra uma aranha-robô, uma múmia atacava, um pteranodonte gritava em desafio e, ao final, os Quest voavam a bordo de um jato futurista, eu soube que aquilo era o que eu mais queria assistir na TV e no cinema. Naquele momento, nasceu minha paixão pelo gênero fantástico, e também ali, pela primeira vez, tive consciência da importância da trilha sonora para acompanhar a ação (impressão que as ótimas trilhas incidentais, que Curtin e Ted Nichols compuseram para a série, só reforçou – os produtores William Hanna e Joseph Barbera eram creditados como co-autores por questões contratuais).

Incrível pensar que foi necessário que se passassem 52 anos para que as trilhas incidentais de Jonny Quest fossem integralmente disponibilizadas oficialmente em disco. Até agora, apenas o tema de abertura e alguns trechos de underscore haviam sido lançados em coletâneas, como Television Greatest HitsPic-A-Nic Basket of Cartoon Classics. Extra-oficialmente, muitas gravações originais já circulavam pela internet, mas com qualidade de áudio inferior. Felizmente, o selo La-La Land Records lançou este CD duplo limitado a 3.000 cópias (que conta com Lukas Kendal, da Film Score Montly, como um dos produtores), que traz os temas de abertura e encerramento da série, a música composta para 23 dos episódios e algumas faixas bônus. Acompanha o álbum um colorido encarte de 24 páginas assinado por John Burlingame e Jeff Bond, que fornecem muitas informações sobre o desenho, os diretores musicais Curtin e Nichols, e os scores. Felizmente, a maior parte das fitas masters das sessões originais de gravações foi localizada e remasterizada, e a qualidade do áudio, de um modo geral, é muito boa – ainda que mono.

As faixas são distribuídas nos dois CDs de acordo com o episódio a que pertencem, sendo que a maioria delas consiste na reunião de duas ou mais cues. De um modo geral, a música de Jonny Quest é bem jazzística, e várias composições são claramente influenciadas pelo light jazz daquela época, ouvido nas trilhas sonoras de Henry Mancini e John  Barry. Sendo uma produção da Hanna-Barbera, não poderiam faltar músicas cômicas e mickeymousing, no estilo muito empregado por Curtin em outros desenhos da produtora. Em Quest, normalmente, esse tipo de música acompanhava as travessuras do cãozinho Bandit, que era o alívio cômico da série. Mas o underscore também trazia muita música climática, ameaçadora e de suspense, ouvida em episódios como “A Maldição de Anúbis” (no Egito, um conhecido do Dr. Quest rouba uma relíquia religiosa, despertando uma múmia vingativa) e “O Lobisomem” (no Canadá os Quest se deparam com uma criatura monstruosa que está matando lenhadores).

Contudo, para mim, o que realmente marca nas trilhas sonoras de Jonny Quest é o vibrante dinamismo de suas cues de ação (a começar pelo próprio tema de abertura), nas quais o mediano ensemble de músicos empregado por Curtin e Nichols era levado ao limite, e muitas vezes soava como uma grande orquestra. Nelas, ocorrem fortes intervenções das seções de cordas, sopro e metais, tendo por base uma espetacular base de percussão liderada pelo baterista Frank Capp. Assim, as perseguições eram o ponto alto do desenho, sempre acompanhadas pelas melhores músicas dos scores. Elas se destacam em episódios clássicos como “O Mistério dos Homens Lagarto” (o primeiro a ser exibido, apresentando os personagens Jonny, Dr. Quest, Bandit e “Race” Bannon, que tentam impedir a destruição de um foguete tripulado – CD 1, faixa 5), “Aventura em Calcutá” (na Índia, Jonny, seu pai e Bannon encontram o órfão Hadji – CD 1, faixa 26),  “O Robô Espião” (o Dr. Zin, utilizando-se de uma enorme aranha mecânica, tenta roubar um invento secreto do Dr. Quest – CD 1, faixas 27 e 32), “A Sombra do Condor” (para mim o episódio melhor escrito da série, um veterano alemão da I Guerra Mundial desafia Bannon para um mortal duelo de biplanos, em meio às montanhas dos Andes – CD 1, faixas 39 e 40) e “Os Dragões de Ashida” (um japonês maluco tem como hobby perseguir pessoas com seus dragões de Komodo de estimação – CD 2, faixa 2).

Mas a música de ação mais característica de Jonny Quest talvez seja “Avalanche” (CD2, faixa 29), que de tão boa foi utilizada em vários episódios (e até mesmo em produções posteriores da Hanna-Barbera), mas que foi ouvida pela primeira vez no memorável “Turu, O Terrível” (um velho aleijado usa um pteranodonte pré-histórico, Turu, para forçar indígenas do Amazonas a trabalhar em sua mina; os confrontos entre Turu e os Quest, que usam cinturões-foguete e estão armados de bazuca, é antológico). Contudo, no disco, esta faixa faz parte da trilha de um episódio posterior, “África Misteriosa”. A explicação para isso é que nem todos os episódios foram exibidos na ordem em que foram produzidos. Enfim, esses são apenas alguns exemplos das ótimas músicas que podem ser ouvidas, relembradas e até descobertas, pelos mais jovens, nesse primoroso e muito bem-vindo lançamento da La-La Land, um verdadeiro tributo a um desenho animado que resistiu ao teste do tempo e diverte adultos e crianças até hoje. Certamente, para os padrões atuais, a série envelheceu em determinados aspectos – algumas histórias, para a gurizada acostumada a animes muito mais violentos, parecerão ingênuas, e culturas e países estrangeiros são apresentados de forma estereotipada ou politicamente incorreta. Mas tudo isso é reflexo da época em que Jonny Quest foi produzida, e na maior parte do tempo a série, além de ser vibrante e divertida, mostra porque foi um marco no gênero.

Para encerrar esta resenha, cabe lembrar que, após os 26 episódios da temporada 1964/1965, Jonny Quest retornou duas vezes à TV – a primeira em 1986, quando juntou-se ao grupo um homem de pedra chamado Petrônio (!). Esta tardia segunda temporada, infelizmente, merece ser esquecida: as tramas dos episódios eram, para dizer o mínimo, sofríveis, sendo a animação e o desenho dos personagens muito inferiores ao programa original. Até mesmo a nova versão do tema de abertura e as trilhas sonoras, também compostas ou supervisionadas por Curtin, não se comparavam às da produção da década de 1960. Melhor foi a série produzida em meados dos anos 1990, As Novas Aventuras de Jonny Quest, com Jonny e Hadji adolescentes – porém, mesmo novamente agregando às histórias elementos mais sérios e tecnologias de ponta, o programa perdeu o charme, a originalidade e, principalmente, a genial base musical que possuía.

Faixas:

Disco 1
1. Jonny Quest Main Title 1:51
2. THE MYSTERY OF THE LIZARD MEN: Brass Rise to Shock/Slow Somber Threat 0:58
3. Soft Fast Travel 0:55
4. Sinister Organ / Danger Bridge / Explorer Gut Shock / Low Brooding With Shock 2:26
5. Violent Drum With Brass Travel 1:00
6. Slow Monster Approach / Quest Chase With Wild Finish 1:26
7. State Dept March / Foreign Legion and Gallop 1:20
8. ARCTIC SPLASHDOWN: Run Thru the Meadow 0:43
9. Brooding Clarinet to Heavy End / Bridge 0:37
10. Dangerous Build Up / Long Bridge 5 1:02
11. Rock and Roll Finale 0:58
12. THE CURSE OF ANUBIS: Arabs Appear / Arab Chief / Brooding Arab With Shock 2:13
13. Bull Fighter March 1:18
14. Rising Pulse to Shock/Native Drums Into Scramble  1:26
15. RIDDLE OF THE GOLD: String and Brass Tension / Time Pass 3 1:37
16. Southern Drag 1:41
17. India Night 1:17
18. Somber Brass Lead-In / Brass Shock Wave / Snake Dance 1:16
19. Jungle Rhythm to Shock / Camel Caravan 2:37
20. TREASURE OF THE TEMPLE: Exploring Dangerous Ground 1:41
21. Danger / Bridge / Time Pass 4 0:55
22. Slow Monster Ominous / Exploring Catacombs 2:39
23. Jazz Chase 1:04
24. CALCUTTA ADVENTURE: Persian Market 0:18
25. Stinger / Theme March 0:41
26. Flute Chase / Med Chase 1:47
27. THE ROBOT SPY: Wild Chase  0:56
28. Eerie Feeling / Mysterious 3:42
29. Scarecrow Dance / Cleopatra’s Ghost 2:08
30. Low Brass Menace With String / Sinister Organ With Brass End 0:55
31. Snappy Travel to Danger 0:55
32. Pulsating Chase 1:03
33. DOUBLE DANGER: Lite Scene Change / Harp Intro Bridge / Humming Bird With Button 0:58
34. Danger / Mad Scientist / Japanese Island 2:15
35. Sneaking Up on Trouble / Fast Travel With Pause / Exit With Plan 1:22
36. SHADOW OF THE CONDOR: Horse and Buggy 1:03
37. Rising Bridge With String / Rising Tension With Brass Shock / Serious With Marimba 2:44
38. Long Bridge 2 0:17
39. Heavy Perry Mason / Wild Chase Remake Builds to End 1:39
40. Run Up to Sting / Panic Chase / Busy Travel Orient Feeling 2:04
41. SKULL AND DOUBLE CROSSBONES: Modern Jazz 1:09
42. Flute Tip Toe With String 0:36
43. Peter Gunn Travel 0:53
44. Happy Looking Fast / Descending With String 1:33
45. Swinging Jazz Chase 1:01
46. THE DREADFUL DOLL: Discovery / Short Bridge / Dog 4, Lite Fool Around / Dog Play 2 1:29
47. Jazz Conversation 0:59
48. Menace / Voodoo / Blue Suspense 2:52
49. Long Bridge 4/Brooding Guitar to Soft Travel/Monster Creep-Up Big Ending    2:41
50. A SMALL MATTER OF PYGMIES: Shocks and Stingers / Moving Along With Danger Anticipation 2:01
51. Bad Guys Speak / Disturbed Jungle 1:23
52. Monster Approaches Flintstones / Foreign Legion Appears Bridge 0:53
53. Theme March Jazz 0:29
Duração: 75:46

Disco 2
1. Jonny Quest Art Card 0:05
2. DRAGONS OF ASHIDA: Drum Chase 1:26
3. Jazz Travel 2:01
4. Quiet Suspense / Monster 2:16
5. Suspense / Conversation Suspense 2:52
6. TURU THE TERRIBLE: Dog Play 1 0:30
7. Slow Clarinet Suspense / Flighty Suspense 2:57
8. Danger Comes / Time Pass 1 0:43
9. THE FRAUDULENT VOLCANO: Theme Chase Faster / Driving Chase 1:31
10. Eerie Into Various / Drama 2:34
11. Fight Sequence/Bills Chase  2:20
12. Happy Jazz Chase 1:30
13. WEREWOLF IN THE TIMBERLAND: Ultra Mysterious 1:30
14. Dramatic 2 / Swinging Ghost 1:25
15. Conversation 0:39
16. Long Bridge 3 / Theme 1 / Lite B.G. Nothing’s Happening 2:18
17. PIRATES FROM BELOW: Underwater or Outer Space With Echo / Kookie Haunted House 1:39
18. Happy Jazz / Bridge Xylo and String 1:03
19. Drum Travel 1:45
20. String Spook 1:21
21. ATTACK OF THE TREE PEOPLE: Sailing    0:58
22. Toy Factory / Playful 2:14
23. Plane Touchdown Faster / Dramatic 1 0:35
24. Theme Travel     1:03
25. THE INVISIBLE MONSTER: String S.O.S. With String Sneaky Tip-Toe 1:00
26. Theme Chase/Moving Along      1:50
27. THE DEVIL’S TOWER: Little Cue Rising Organ / Sweet Thoughts Into Suspense 1:08
28. Shocks and Suspense / Dark Descent 2:40
29. Long Danger Bridge / Avalanche 1:25
30. THE QUETONG MISSILE MYSTERY: Plodding Monster 0:36
31. Dr. Zin / Morbid 3:23
32. Intense Motion 1:23
33. Epilogue 1:20
34. THE HOUSE OF SEVEN GARGOYLES: Voodoo Strange 0:47
35. Bad Guys / Shock 2:10
36. TERROR ISLAND: Monsters / Section 2 1:26
37. Theme 2 / Brooding Mood With Big Sting 1:11
38. Bridge Muted Trumpets / Dog Play 3 0:39
39. Agitated Motion 1:01
40. Theme March Retake 0:26
41. Jonny Quest End Title 0:50
42. BONUS TRACKS: Bridge–J.Q. String Bridge 0:08
43. Lite Fast Jazz 0:43
44. Genghis Khan Enters / End of Scene Bridge 0:46
45. Skid Row 1:16
46. Sinister Feeling–Something’s Sneaking Around to Samba Chase 1:32
47. Jade Bumps and Grinds 2:16
48. Pasha Peddler Jazz 0:51
49. Conversation Blues / Sexy Conversation 1:36
50. Happy Thoughts 1:11
51. Conversation Swing 1:04
52. Conversation Jazz 0:38
53. Sweet Thoughts 1:07
Duração: 75:11

Duração Total: 149:24

Jorge Saldanha

Anúncios

Comente o conteúdo da postagem

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s