Resenhas - Séries

Resenha: TERRA NOVA: 1×01 – Genesis Part 1 e 1×02 – Genesis Part 2


[SPOILERS] Futuro catastrófico. A Terra tem os dias contados e o futuro da Humanidade passa por abandonar o enfermo planeta em busca de um novo recomeço. Seja um outro planeta ou a Terra de há 85 milhões de anos – sempre um qualquer paraíso imaginado que rapidamente revela a sua real crueldade e inóspita natureza –, qualquer ávido fã de ficção científica reconhece na premissa de “Terra Nova” traços de muita outra ficção escrita dentro do género.

Não há nada de novo, é facto e ponto assente nesta primeira [cerca de] hora e meia da série. O ser humano está à beira da derrota por uma qualquer circunstância (como sempre). O ser humano encontra alternativa e vislumbra um recomeço onde possa evitar todos os erros que cometeu no passado e conduziram à catástrofe (claro, mas como sempre apenas durante os cinco minutos iniciais dessa sua nova vida, momentos esses rapidamente corrompidos pela ganância e avareza que tanto lhe é natural). O ser humano é um sobrevivente por natureza, logo necessita de algo que lhe teste as suas capacidades físicas e mentais (seja uma infecção que transforma as populações em cadáveres ambulantes, uma invasão de extraterrestres vorazes que nos querem devorar ou sodomizar, habitantes originais do novo planeta que não ficaram lá muito contentes por terem sido invadidos ou simplesmente dinossauros que se contam como a força dominante do planeta… muda-se o antagonista mas o disco vira sempre para o mesmo lado). São muitas as séries, são muitos os filmes, são muitos os livros, são muitas mais as restantes plataformas existentes para contar uma história onde facilmente reconhecemos a premissa de “Terra Nova”. Disso, acho que ninguém tem dúvidas. Agora, mesmo perante as repetições de ideias e conceitos, “Terra Nova” não é a pior série do género que surgiu vinda da televisão norte-americana nos últimos tempos. Não é. Mas já lá vamos.

A história: Já falámos disto. A Terra está a morrer. Blá, blá, blá. Vamos regressar ao passado por uma fenda temporal que descobrimos. Blá, blá, blá. Para evitar paradoxos vamos dizer que esta linha temporal é alternativa e não influenciará o presente. Blá, blá, blá. Há um grupo de renegados que se querem apoderar de Terra Nova. Blá, blá, blá. Fujam, vêm lá os dinossauros famintos. Blá, blá, blá.

Mitologia: Além de dinossauros famintos e humanos renegados que se querem apoderar de Terra Nova, a série introduz ainda alguns elementos de mistério, certamente a desenvolver em futuros episódios: os enigmáticos desenhos rupestres e o desaparecimento do filho do Comandante Nathaniel Taylor (Stephen Lang). De tudo o que este piloto me apresentou, o que mais me cativou foi claramente o mistério em torno destes símbolos marcados em pedra. Não os renegados. Não os dinossauros. Muito menos o drama familiar. E sim este mistério.

CGI: O CGI é parte integral desta série. Foi por ele que (segundo consta) a estreia da série foi adiada por duas vezes e seria ele que (supostamente) faria a diferença, revolucionaria até, a utilização de efeitos especiais feitos para televisão. Mas não o fez. À excepção dos dinossauros, que até podiam estar piores do que ficaram, verdade seja dita, os fundos, as paisagens (especialmente a cidade na primeira metade do episódio onde os mesmos são tão maus como na grande maioria das restantes séries da televisão norte-americana) são perceptíveis de tal forma que acabam por causar distracção, algo que, como é óbvio, é péssimo para quem se quer deixar levar pela história. Para tanto tempo de preparação, planeamento e produção esperava algo bem melhor.

O drama familiar: Além do mistério e da aventura, “Terra Nova” promete ainda algum drama. Temos pais. Temos filhos. Temos pais e filhos, por isso esperem algumas tentativas de sacar uma lágrima aqui e ali. O problema é que não vejo força suficiente nestas personagens para conseguirem enveredar por caminhos dramáticos. Apesar de não serem tão superficiais ou planas como as de outras séries que se aventuraram no género, também não são profundas ou multidimensionais o suficiente para conseguirem dar à série a tão necessária emotividade. Pelo menos, para já. Veremos se nos próximos episódios as mesmas conseguem crescer ou se não passarão de meros recipientes vazios.

A cena: Aquela deve ser a miúda de cinco anos mais leve de sempre, para ser carregada às costas com uma facilidade tremenda! E tudo bem que para o pai nem tanto porque é um homem relativamente forte, mas a mãe, que é tão franzina, pegou na mochila como se não tivesse quase nada lá dentro…

O melhor: Ser o início e por isso mesmo um primeiro passo, restando apenas saber em que direcção o mesmo será dado.

O pior: Ter potencial mas, para já, parecer apenas outro “FlashForward” ou “The Event”.

ZB
Via [TVDependente]

 

10 comentários em “Resenha: TERRA NOVA: 1×01 – Genesis Part 1 e 1×02 – Genesis Part 2

  1. Wilson

    Como baixar as séries, para gravar e assistir posteriormente ???

    Curtir

  2. Fabiano

    Por mais que tudo pareça, jamais iniciei uma serie onde ela fosse perfeita, o bom é que existe grandes cabeças bolsos forrados por tras que podem fazer ela ser um sucesso bastante rapido.

    Não vejo porque ser pessimista quanto a série, no marasmo de produções que temos, temos de dar voto de confiaça.

    Curtir

  3. Assisti, também esperando ver algo que me lembrasse Jurassic Park, mas não vi. Me lembrou muito aquela série fracassada Outcasts, e quando digo muito é muito mesmo. Tenho a Sensação de que a audiência vai começar a cair e algumas pessoas vão ser demitidas, mas vou continuar vendo, talvez apareçam alguns alienígenas para traduzir aqueles símbolos da cachoeira. Ou não, rs…!

    Curtir

  4. Prezados, aqui no Sci Fi do Brasil é vedada a divulgação de links e informações que possam ser relacionados à prática de pirataria. Quem tiver interesse em baixar filmes e séries pode facilmente encontrar o que deseja pesquisando na internet.

    Curtir

  5. Tendo na produção Brannon Braga (o pior de Star Trek, Threshold, FlashForward) e Spielberg (que também decepcionou com Falling Skies) assisto sem esperar grandes coisas mesmo…

    Curtir

  6. Curti a série tomara que dure mais que FlashForward, que eu adorava e virei fan, cansei de ficar na mão com séries canceladas…..

    Curtir

  7. Rogerfer

    Gostei do início, embora a sina dos super-heróis, super-soldados “americanos” com suas super máquinas avançadas continue sobressaindo no enredo das séries Sci-Fi. Bom, é uma série deles!
    Concordo com os comentários sobre as cenas com CGI. Foi claro em alguns momentos a parte artificial da série; mas isso é compreensível (um pouco).
    Enquanto The Walking Dead e Games of the Throne não retornam, será um bom passa tempo.

    Curtir

  8. Helder Montenegro

    Me Desculpe à Redaçao, coloquei um link para baixar series, sem pensar,
    valeu!!!

    Curtir

Comente o conteúdo da postagem

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: