Resenhas - Séries Séries

Resenha: Falling Skies: 1×07 – Sanctuary, Part 2


[SPOILERS] Caros “Fallingskierianos”, eis o que disse uma vez um homem sábio: quem vê caras, não vê coração… e quem vê coração ou é cardiologista ou cirurgião. Eu actuo aqui como um cardiologista ao tentar fazer gráficos semanais de Falling Skies e tentar entrar na sua matriz, porém acho que estou mais preso à cara da série do que do seu coração. Por outras palavras, gostei outra vez da abordagem deste episódio; os dois sanctuarys foram os melhores do que conseguimos até agora, será que é por se terem preocupado menos com os Skitters?

Hum, a série está a acabar e ainda não sabemos quem são ou o que querem os Skitters, porém depois da fala de Rick (Daniyah Ysrayl) ficou a cheirar-me algo a “Body Snatchers” (alguém se lembra? aquele filme onde os humanos não podem dormir para que os aliens não os substituam, para acabar com os seus conflitos… ainda não? Remeicado com Nicole Kidman e Daniel Craig? Hum… alguém de certeza se lembra). Tenho medo que a justificação dos Skitters seja algo como isso: vocês são perigosos para vocês mesmos, por isso vamos trancar a vossa mente numa cela e meter-vos uns grilhões no livre-arbítrio e nunca largar as trelas. Mas rezo mesmo para que não seja algo assim tão trivial.

Já sabíamos no episódio em que recuperaram Rick de que os simbiontes purificam o organismo, quando a Anne (Moon Bloodgood) falou com Mike (Martin Roach) sobre o histórico de saúde daquele. E hoje pegando nessa mesma história percebemos melhor porque a recuperação de Rick talvez tenha sido mais lenta do que de Ben (Connor Jessup), ele não tinha vontade de se curar (quer dizer, espero que pelo menos justifiquem assim ou com algo lógico, pois não quero pensar que os argumentistas não reflectiram sobre o que escreveram). Eu não o culpo, pois também preferia estar de boa saúde, num estado zen, em calma com a vida e com os que me rodeiam do que estar confinado a uma cama, frágil e odiando todo o mundo que esteja com saúde.

Bem, estou mais focado em Rick, porque apesar de tudo, parece-me que este episódio é dele, pelo menos para mim foi quem mais se destacou, não obstante estivesse num plano secundário.

Gostei do episódio como já dissera, mas não consigo afastar-me da sua cara. E por isso pergunto de novo como é que uma série sobre extraterrestres consegue ser mais interessante quando extraterrestres não aparecem? Agora compreendo por que crucificaram Cristo e andam dois mil anos depois a pendurar um crucifixo, é mais cool quando o objecto da devoção está ausente.

E sabem do que não vou falar? Não vou falar que Hal (Drew Roy) merece um spin-off intitulado Casanova. Não vou falar da disparatada tentativa de redenção do Bento XVI, desculpem, do Pope (Colin Cunningham), porque não tem sentido nenhum uma personagem que mostraram desde início paranóico e egoísta, de repente dar numa de: ai, tu vais para a cama com o inimigo, por isso vou… bah, não vou falar mesmo. Não vou falar do timing das pessoas: por exemplo, Weaver (Will Patton) que uns minutos antes estava a ajudar no parto, no minuto seguinte já estava na outra fazenda. Ou da Sarah (Melissa Kramer) que esteve grávida seis semanas antes da invasão Skitteriana, e, tendo em conta que se passaram seis meses depois da invasão, a acreditar nas falas dos personagens nos episódios anteriores, o bebé dela teria então o quê? Sete meses? Eu sei que há partos com sete meses, mas não creio que fosse esse o caso.

Aplicando o que disse na semana passada sobre o egoísmo do amor e da questão da sobrevivência, não vejo muito para dizer esta semana . E considerando a prévia da próxima semana, e rezando que algumas pontas sejam amarradas, porque não creio que consigam amarrá-las a todas, despeço-me.

Pentacúspide – http://montedepalavras.blogspot.com
Via [TVDependente]

5 comentários em “Resenha: Falling Skies: 1×07 – Sanctuary, Part 2

  1. Paulo Cirino

    O seriado TEM POTENCIAL, mas não tem bons roteiristas. Como é que um grupo em fuga, entra numa casa para SE ESCONDER, e a menina começa a …….TOCAR PIANO!!!!!!!?? Como é que o grupo perseguidor, olha em volta e sabe EXATAMENTE a casa em que os fugitivos estão escondidos? Como é que o segundo em comando da 2 Mass, se entrega todas as vezes? Como é que um grupo que só quer as crianças não mata de imediato os dois que certamente iriam, dar trabalho posteriormente? Como é que ninguém verifica se Pope morreu mesmo? Os aliens vieram do espaço, destruiram tudo….para pegar crianças!!!??? As crianças são escravizadas (mas com momentos de ternura), para pegar…..pedaços de metal!!!!??? Os aliens que destruiram tudo…fazem um acordo com um humano!!!????
    Tomara que na segunda temporada (porque não espero nada dos dois próximos capitulos), os produtores consigam roteiristas DE VERDADE, para desenvolver a série………

    Curtir

    • Cara, esse seriado é tão ruim que dói, desde o primeiro episódio está tudo tão óbvio, mas tão óbvio que nem sei por que perco tempo continuando a olhar, um episódio inteiro sem aparecer um aliem sequer, sinceramente.
      Mas enfim, quer saber qual a explicação de todas essas aparentes incongruências? Lá vai, o super segredo da série revelado: é que os Esquiters não são os invasores e sim os robôs, os Esquiter são ,também eles, escravos dos robôs que são os verdadeiros invasores. Pensem bem, os momentos de ternura são de escravizado para escravizado. Buscam pedaços de metal porque são robôs…
      E seguem mais e mais evidências, desde o início, quem tem armas? Tipo, quando mataram algumas crianças, não foi porque resgataram algumas mas sim por que “mataram” um dos robôs, lembram? Vingancinha dos robôs. No próximo episódio vão achar um arnés dentro de um Esquiter, preciso dizer mais, poderia, tem mais um monte de evidências, mas tá de bom tamanho. Pior que a idéia nem é original, é chupada de um conto antigo que deu origem ao “O Dia em que a Terra Parou”. E o design dos aliens e robôs então? Francamente senhor Spielberg… Lamentável.

      Curtir

  2. Paulo Cirino

    Sua teoria é interessante e faz sentido…..
    Só mais uma pergunta: quando os aliensa tacaram, destruiram as bases militares, os meios de comunicação, as fabricas….então onde a resistencia consegue sua munição???? Se bem que mais fogem do que resistem…….o Pope resistiu mais dos que os 300 do 2 Mass….

    Curtir

    • Bah, o resto é tão incongruente e sem noção que dá pena. Acho que os roteiristas foram todos exterminados na invasão também.
      Tipo, a minha teoria explica várias coisas bizzaras, mas não quer dizer que seja bem feito, é tudo muito tosco. Pior que o cara se apega, mas estão quase me perdendo…

      Curtir

  3. Paulo Cirino

    O problema é a falta de opção, se bem que Torchwood esta muito bom……

    Curtir

Comente o conteúdo da postagem

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: