Filmes Resenhas - DVD e Blu-ray

Resenha: Fúria de Titãs (Blu-ray)


Produção: 2010
Duração: 118 min.
Direção: Louis Leterrier
Elenco: Sam Worthington, Ralph Fiennes, Liam Neeson, Gemma Arterton, Danny Huston, Alexa Davalos, Izabella Miko, Jason Flemyng, Luke Evans
Vídeo: Widescreen Anamórfico 2.40:1 (1080p/VC-1)
Áudio: Inglês (DTS-HD Master Audio 5.1), Português, Espanhol, Francês (Dolby Digital 5.1)
Legendas: Português, Inglês, Espanhol
Região: A, B, C
Distribuidora: Warner
Discos: 2
Lançamento: 27/07/2010
Cotações: Som: ****½ Imagem: ***½ Filme: ***½ Extras & Menus: ***½ Geral: ***½

SINOPSE
Filho de Zeus (Liam Neeson) mas criado como humano, Perseu (Sam Worthington) não tem como salvar sua família de Hades (Ralph Fiennes), deus vingativo do submundo. Sem nada mais a perder, Perseu se oferece para liderar um grupo de guerreiros em uma perigosa missão para derrotar Hades antes que ele usurpe o poder de Zeus e transforme a Terra em um inferno.

COMENTÁRIOS
Sou um grande admirador da obra de Ray Harryhausen, um dos maiores nomes da técnica de animação stop motion da história do cinema. Mesmo não sendo creditado como diretor em nenhum dos seus filmes, todas as sequências de efeitos visuais eram elaboradas por ele, mesmo as tomadas com atores nas quais posteriormente seriam inseridas suas criaturas animadas quadro-a-quadro. Portanto, foi com apreensão que recebi a notícia de que seu último filme, FÚRIA DE TITÃS (CLASH OF THE TITANS, 1981), seria refilmado pela Warner. As opiniões após o lançamento da nova versão pareciam confirmar meus temores. Pela internet pipocaram críticas negativas, e foi com um pouco de surpresa que, via de regra, nelas os autores declaravam seu amor pelo original, para eles um clássico de suas infâncias ou das sessões da tarde. Surpreendi-me porque, apesar do longa original ter um orçamento maior que o normal para as produções de Harryhausen, e de contar no elenco com um grande nome como Laurence Olivier, ele também não foi bem recebido pela crítica e pelo público. Infantil demais para os adultos (graças principalmente à presença da coruja mecânica Bubo), arrastado demais para as crianças e com um ator ruim interpretando Perseu (Harry Hamlin), o filme não é das melhores obras da carreira do Mestre.

Finalmente a refilmagem estreou aqui, e optei por assisti-la em cópia convencional, já que outro ponto comum nas resenhas era de que a cópia 3D (o filme foi rodado em 2D, mas para aproveitar a onda de AVATAR foi convertido às pressas) era péssima. Sem esse problema, com cinco minutos de projeção percebi que o filme não poderia ser tão ruim como disseram, e ao final isso se confirmou. Com ótimos valores de produção, um elenco de peso onde até mesmo o criticado Sam Worthington está bem (se não gostaram dele como Perseu, o que se dirá de Harry Hamlin?) e um ritmo ágil, esta é daquelas raras refilmagens superiores ao original em quase todos os aspectos. As criaturas feitas em computação gráfica, apesar de não terem o charme das criadas por Harryhausen, são impressionantes, e a trilha de Ramin Djawadi é, sem dúvida, seu melhor trabalho até agora. Além disso, há as referências e homenagens à obra original, que incluem uma piada que Leterrier fez com Bubo – o diretor sabia que a coruja foi uma imposição do estúdio para atrair as crianças.

Mas o longa de Louis Leterrier (competente diretor de filmes de ação como o primeiro CARGA EXPLOSIVA e O INCRÍVEL HULK), ao colocar Io (Gemma Arterton) como o interesse romântico de Perseu no lugar de Andrômeda (Alexa Davalos), faz com que a grande busca do herói por uma arma capaz de destruir o monstro Kraken e salvar a princesa de Argos perca força. Se antes a odisseia do semideus Perseu era uma épica aventura romântica, ela agora tornou-se uma não muito nobre vingança pessoal contra os deuses, principalmente Hades (Ralph Fiennes), responsável pela morte de seus pais adotivos. Abordagem adequada ao novo filme, mais sombrio e sério, mas que o enfraquece como a obra tradicional que, apesar dos avanços tecnológicos que traz, de fato é. De qualquer modo, como aventura descompromissada – como os hoje “clássicos da sessão da tarde” – este FÚRIA DE TITÃS cumpre bem sua função e certamente, longe dos borrões de uma conversão 3D malfeita, poderá ser melhor apreciado, principalmente na alta definição do Blu-ray.

SOBRE O BD
O lançamento norte-americano em Blu-ray de FÚRIA DE TITÃS, lançado em 27 de julho de 2010 e que serviu de base para esta resenha, é basicamente o mesmo disponibilizado aqui um mês depois – a edição nacional é a mesma, com menus em inglês e conteúdo idêntico, fabricada pela Videolar. Está num BD-50 onde o filme ocupa 20Gb, com bitrate médio de 17347 Kbps. A diferença é que lá o BD faz parte de um combo que inclui um DVD com o filme e sua cópia digital, enquanto o nosso combo traz o DVD da versão de 1981. Vale lembrar que o filme original também está disponível aqui em Blu-ray, mas fica o alerta de que a alta definição agrava todas as deficiências de sua produção, como granulação excessiva, falta de nitidez nas cenas de efeitos, etc. Pelo menos não encheram o filme de DNR, como no recente BD de O PREDADOR.

Já a imagem desta versão 2010 também sofre em virtude de algumas características da fonte: a transfer anamórfica no aspect ratio 2.40:1 (1080p/VC-1) realça algumas cenas embaçadas, onde a granulação parece ter sido suprimida e, com ela, os detalhes finos. Já mesmo no cinema as sequências noturnas do início, além das ambientadas no Monte Olimpo, denotavam um pesado processamento digital da imagem, que ao invés de estilizar a obra acabaram por enfeiar sua apresentação visual. Essa deve ter sido a maior fonte dos problemas da conversão do filme para 3-D (aliás, a Alemanha foi o único país do mundo a receber uma versão em BD tridimensional de FÚRIA DE TITÃS, e que também traz legendas em português). Por outro lado, nas cenas externas a imagem é brilhante, muito nítida, apresentando cores vívidas, naturais e excelente detalhamento, que destaca as locações na Ilha de Tenerife e no País de Gales.

Quanto ao som, o quadro é mais favorável: o áudio original em inglês recebeu uma faixa lossless DTS-HD Master Audio 5.1 praticamente irretocável. O filme tem muita ação, e a mixagem HD é agressiva e dinâmica, com os canais surround em constante uso. Os graves são contundentes, fazendo com que o subwoofer chegue ao limite em várias tomadas, como no climático confronto com o Kraken ao final. O áudio em alta definição valoriza bastante o sound design do filme, que é envolvente na medida certa, com diálogos, efeitos sonoros e trilha musical reproduzidos na maior parte do tempo com cristalina fidelidade – e potência. Também há disponíveis boas dublagens lossy Dolby 5.1 em português, espanhol e francês, e legendas em português, inglês e espanhol. Os menus (principal e pop up) estão apenas em inglês.

EXTRAS
O novo FÚRIA DE TITÃS recebeu um decente conjunto de extras, com todos os vídeos em alta definição e legendas em português. Como já mencionado acima, este lançamento norte-americano inclui um disco com o filme em DVD (480p) e cópia digital, que não vou detalhar porque não acompanha a versão nacional.

  • Maximum Movie Mode – Este recurso dos BDs da Warner tem ótimos exemplos em títulos como SHERLOCK HOLMES e a versão do diretor de WATCHMEN (esta, inédita no Brasil), nos quais os diretores, de corpo presente, acompanham o filme e dividem com o espectador sua experiência de realizador. Aqui ele é mais modesto, consistindo essencialmente de segmentos picture-in picture trazendo: depoimentos de Louis Leterrier, Sam Worthington, Liam Neeson, Ralph Fiennes e outros membros do elenco e equipe; pré-visualizações de efeitos visuais; testes de figurino e maquiagem; pré-produção; locações; o trabalho dos atores nas cenas de ação; monstros; e por aí vai;
  • Focus Points (35 min.) – Todos os dez featurettes contidos no Maximum Movie Mode podem ser acessados diretamente via menu, totalizando mais de meia hora. São eles: “Sam Worthington is Perseus”, “Father of Gods and Men”, “Enter the World of Hades”, “Calibos: The Man Behind the Monster”, “Tenerife: A Continent on an Island” , “Scorpioch”, “Actors and their Stunts”, “Wales: A Beautiful Scarred Landscape”, “Bringing Medusa to Life” e “Prepare for the Kraken”;
  • Sam Worthington: An Action Hero for the Ages (8 min.) – Como o nome já diz, este curta é dedicado a Sam Worthington e sua habilidade para dispensar dublês em boa parte de suas cenas de ação;
  • Deleted Scenes (19 min.) – Coleção de cenas eliminadas (a maioria com efeitos não finalizados), nas quais se destacam as que envolvem os deuses do Olimpo – inclusive uma na qual é Apolo, e não Zeus, quem dá a Perseu a moeda para Caronte. Algumas, que deveriam ser levadas a sério, são risíveis e foram merecidamente cortadas. Elas formam um único vídeo e não podem ser vistas isoladamente;
  • Alternate Ending (5 min.) – Final alternativo onde Perseu beija Andrômeda e confronta seu pai, Zeus, no Monte Olimpo;
  • BD-Live – Através do recurso de conectividade do reprodutor, o disco permite acessar ao portal de Blu-ray da Warner.

Jorge Saldanha

17 comentários em “Resenha: Fúria de Titãs (Blu-ray)

  1. Pingback: Ridley Scott volta a falar sobre os prelúdios de Alien « Sci Fi do Brasil

  2. Bem o original não é dos melhores da carreira do “mestre”. E esta nova versão, alem de desvirtuar quase que totalmente a história original, apelou para os velhos cliches deste tipo de filme (epicos), uma pena. E ja se “ventila”, que sera produzido o 2. Acho que precisamos ter medo, muito medo……

    Curtir

    • Eu já acho que não sendo uma refilmagem, Fúria de Titãs 2 pode ser melhor que o 1 (pelo menos não vai ter comparações do tipo “o original é que era bom”.

      Curtir

  3. Pingback: Liam Neeson vai encarar uma Batalha Naval « Sci Fi do Brasil

  4. Pingback: Notícias Curtas (13/09/2010): Resident Evil 5, Fúria de Titãs 2, Star Trek 2 « Sci Fi do Brasil

  5. Pingback: Refilmagem de Viagem Fantástica pode ter achado seu diretor « Sci Fi do Brasil

  6. Pingback: Avatar: Anti-Americano e Ateísta? « Sci Fi do Brasil

  7. Pingback: Warner divulga a resenha oficial da continuação de Fúria de Titãs « Sci Fi do Brasil

  8. Pingback: Mais novidades no elenco de O Hobbit « Sci Fi do Brasil

  9. Pingback: IMMORTALS: assista a uma sangrenta cena de combate | SCI FI do Brasil

  10. Pingback: Saiu o trailer de WRATH OF THE TITANS | SCI FI do Brasil

  11. Pingback: THOR 2 contrata vilão | SCI FI do Brasil

  12. Pingback: Resenha: FÚRIA DE TITÃS 2 (Blu-ray) « SCI FI do Brasil

  13. Pingback: Assista a trailers e vídeos de bastidores de JOÃO E MARIA – CAÇADORES DE BRUXAS « SCI FI do Brasil

  14. Pingback: Ray Harryhausen, o Mestre da animação “Stop Motion” | SCI FI do Brasil

  15. Pingback: Projeto do filme de JONNY QUEST segue em desenvolvimento | SCI FI do Brasil

  16. Pingback: Vem aí THE TITAN | SCI FI do Brasil – O Portal da Ficção Científica em Português

Comente o conteúdo da postagem

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: