Resenha: Zumbilândia (Blu-ray)


Título Original: Zombieland
Produção
: 2009
Duração: 88 min.
Direção: Ruben Fleischer
Elenco: Woody Harrelson, Jesse Eisenberg, Emma Stone, Abigail Breslin, Bill Murray
Vídeo: Widescreen Anamórfico 2.40:1 (1080p/AVC MPEG-4)
Áudio: Inglês, Português (DTS-HD Master Audio 5.1), Espanhol, Tailandês (Dolby Digital 5.1)
Legendas: Português, Inglês, Espanhol
Região: A, B, C
Distribuidora: Sony
Discos: 1
Lançamento: 13/05/2010
Cotações: Som: ****½ Imagem: ****½ Filme: **** Extras & Menus: **** Geral: ****

SINOPSE
ZUMBILÂNDIA, filme que rendeu mais de 20 milhões de dólares só no fim de semana de estreia, conta a história de Colombo (Jesse Eisenberg), um universitário nerd  que sobreviveu à praga que transformou toda a raça humana em zumbis carnívoros, simplesmente porque tem medo de tudo. Tallahassee (Woody Harrelson), sempre armado e apaixonado por doces, ao contrário de Colombo, não tem medo de nada. Juntos, eles vão enfrentar o desafio mais aterrorizante de todos os tempos: conviver um com o outro. Emma Stone e Abigail Breslin complementam o elenco desta comédia horripilante.

COMENTÁRIOS
Comédias de gênero já são uma tradição no cinema, e até recentemente as de zumbis eram muito escassas, limitando-se a produções obscuras e totalmente trash. Uma honrosa exceção era A VOLTA DOS MORTOS VIVOS, que Dan O’Bannon dirigiu em 1985 – trash sim, mas com um bom nível de produção e sacadas inteligentes de roteiro. Em 2003 foi a vez de TODO MUNDO QUASE MORTO, a abordagem humorística inglesa dos zumbis que revelou o ator Simon Pegg, infelizmente lançado no Brasil apenas em DVD. E finalmente em 2009 tivemos este ZUMBILÂNDIA, um cult instantâneo que fez sucesso nos EUA mas passou meio que batido no exterior – este passou nos cinemas daqui, mas teve pouquíssima divulgação.

Em ZUMBILÂNDIA os zumbis não são mortos que voltaram à vida, mas como em EXTERMÍNIO, pessoas contaminadas por um vírus que as transformou em canibais furiosos. O filme é narrado por Columbus (Eisenberg, de FÉRIAS FRUSTRADAS DE VERÃO), que sobreviveu à praga graças a regras que são gráfica e hilariamente mostradas ao espectador. Em sua jornada pelos EUA devastado e dominado por zumbis, o rapaz encontra o casca-grossa Tallahassee (Harrelson, de O MENSAGEIRO), que se considera um expert em exterminar os monstros. Como nos melhores “filmes de parceiros” suas diferenças inicialmente geram conflitos, mas não demora para que surja uma forte camaradagem entre eles. Ambos encontram uma outra dupla, as irmãs trambiqueiras Wichita (Emma Stone, de SUPERBAD) e Little Rock (Abigail Dreslin, de PEQUENA MISS SUNSHINE), que sobrevivem às custas de golpes aplicados nas outras poucas pessoas ainda não contaminadas.

A base da trama é a interação entre Eisenberg e Harrelson, o que não exclui boas cenas deles com as garotas – as de Tallahassee e Little Rock são particularmente divertidas, e temos o inevitável romance entre Columbus e Wichita. O casal, aliás, dá uma sensação de “SUPERBAD com zumbis” ao filme – ao contrário de Emma Stone, Eisenberg não estava na comédia de Greg Mottola, mas ele é bem parecido com Michael Cera. O roteiro, escrito por Rhett Reese e Paul Wernick, foi concebido na forma de um piloto de TV, e isso se reflete no longa. O quarteto não possui um destino pré-definido, vivendo suas aventuras em situações episódicas que irão culminar no confronto do Parque de Diversões. Mas o grande momento do filme acontece antes, quando eles chegam a Hollywood e lá encontram Bill Murray, de OS CAÇAFANTASMAS – astro e filme preferidos de Tallahassee. Mais não dá para contar, para não tirar a graça e a surpresa do segmento.

Com uma ótima direção do estreante Ruben Fleischer, um pequeno e afiado elenco onde se sobressai Harrelson, um nível de produção que não revela seu baixo orçamento e um bem equilibrado mix de horror e humor, ZUMBILÂNDIA é obrigatório para os fãs tanto dos dois gêneros. É diversão garantida!

SOBRE O BD
A Sony continua com sua tradição de excelentes edições em Blu-ray com ZUMBILÂNDIA, mais um lançamento perfeitamente localizado para o nosso mercado, com menus animados, legendas (do filme e dos extras) e dublagem em português. Visualmente, temos uma transferência anamórfica 1080p/AVC MPEG-4, na proporção original 2.40:1, que é praticamente de referência. As imagens, capturadas por câmeras digitais de alta definição, são limpas, livres de ruídos, artefatos e granulação, extremamente brilhantes nas tomadas externas e no geral altamente detalhadas, em especial nas várias cenas em câmera lenta onde vemos nitidamente estilhaços de vidro, respingos de sangue e outras melecas corporais expelidas pelos zumbis. Nas externas prédios, chão, cadáveres, carros destruídos, tudo é mostrado nos mínimos detalhes. Os pretos são fortes, assim como as cores são vibrantes e os tons de pele, realistas. Mesmo sendo ambientado num apocalipse zumbi, o filme possui um belo visual, que colabora para o humor negro de certas cenas, como a das meninas zumbis com seus vestidinhos coloridos. Apesar de eventualmente termos cenas que não pareçam tão nítidas, não há filtragem aparente e, de modo geral, a imagem possui um grande senso de profundidade.

Clique na imagem para ampliá-la

Desta vez temos não apenas o áudio original em inglês, mas também uma dublagem em português lossless DTS-HD Master Audio 5.1. O áudio em alta definição, apesar de não possuir graves tão potentes como de outras faixas DTS-HD, é ótimo, reproduzindo sempre os diálogos de forma nítida. Os efeitos surround são utilizados de forma econômica, principalmente para envolver os espectadores com os sons dos zumbis. Tais características, provavelmente, originam-se no próprio sound design do filme, que como citamos é de orçamento modesto. De qualquer maneira, o áudio em alta definição é suficientemente imersivo e serviçal à proposta do filme. Também estão disponíveis dublagens Dolby Digital 5.1 em Espanhol e Tailandês, e várias opções de legendas que incluem português, inglês e espanhol.

EXTRAS
Em quantidade razoável, os principais extras de ZUMBILÂNDIA estão em HD (1080p ou 1080i), com legendas em português:

  • Além do Cemitério – Picture-in-Picture – Acionada esta função, assistimos o filme acompanhado de janelas PIP razoavelmente grandes, que mostram em determinadas cenas a criação dos dos efeitos visuais, entrevistas com elenco e equipe, storyboards estáticos ou animados (animatics), cenas de bastidores, etc. Sem dúvida o principal extra do disco, legendado, que uma vez assistido torna o resto praticamente dispensável;
  • MovieIQ – Recurso dos BDs da Sony que permite que o filme seja acompanhado de informações e trivialidades, como filmografias e curiosidades da produção;
  • Comentários em Áudio – Faixa de comentários com os atores Woody Harrelson e Jesse Eisenberg, o diretor Ruben Fleischer e os roteiristas Rhett Reese e Paul Wernick. Apesar de trazer várias informações interessantes sobre a concepção e a produção de ZUMBILÂNDIA, a faixa não é tão divertida como poderia ser. Pelo menos, é legendada;
  • Em Busca da Zumbilândia (HD, 16 min) – Making of de divulgação que traz entrevistas e rasgação de seda com o elenco e a equipe, cenas do filme e dos bastidores, etc. O trivial, portanto;
  • Zumbilândia é a sua Terra (HD, 12 min) – Outro featurette de bastidores com depoimentos de elenco e equipe, mas desta vez com ênfase no design e criação de cenários, e a progressão da ideia original até o produto final;
  • Cenas Excluídas (HD, 5 min) – Algumas cenas excluídas, inclusive uma que trata de uma regra que não é mencionada em outro ponto do filme. Sem terem maior relevância ou serem particularmente engraçadas, não fizeram mesmo muita falta na edição final;
  • Desenvolvimento dos Efeitos Visuais (HD, 2 min.) – Sem áudio e, portanto, também sem legendas, temos a progressão de certas cenas, desde a sua concepção até o resultado final, com efeitos visuais. Entre elas, a abertura do filme em Washington, o vôo da mulher no acidente com um veículo, as mortes no supermercado e a queda de uma zumbi no parque de diversões;
  • Trailers de Cinema (HD, 6 min.) – Compilação dos trailers promocionais do filme, nos quais Eisenberg e Harrelson respondem perguntas sobre zumbis. Sem legendas;
  • Trailers – Prévias de outros lançamentos da Sony em alta definição, além daquele trailer genérico do Blu-ray presente em todos os títulos da distribuidora;
  • BD-Live – Através da conectividade de seu player é possível acessar o portal da Sony, que no entanto não traz nenhum material suplementar de ZUMBILÂNDIA;
  • Tema para o Playstation 3 – Aqui, uma boa surpresa para os possuidores do reprodutor de Blu-ray e console de games da Sony (eu!), que nem está anunciado na embalagem: com o disco de ZUMBILÂNDIA em seu Playstation 3, debaixo da aba que contém os jogos instalados surgirá uma opção para ativar um tema do filme, que tornará todos os ícones da tela vermelhos e colocará alguns cartazes do filme como fundos de tela rotativos.

Jorge Saldanha

Anúncios

19 Comments

  1. Realmente Zumbilândia foi uma feliz surpresa e a cena com Bill Murray é a melhor do filme. Comprei este blu-ray da Amazon então está fila para ser revisto, então não posso comentar sobre sua parte técnica.

    Curtir

Comente o conteúdo da postagem

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s