Filmes Resenhas - DVD e Blu-ray

Resenha: Garota Infernal (Blu-ray)


Título Original: Jennifer’s Body
Produção: 2009
Duração: 102 min. / 107 min.
Direção: Karyn Kusama
Elenco: Megan Fox, Amanda Seyfried, Johnny Simmons, Adam Brody, Sal Cortez
Vídeo: Widescreen Anamórfico 1.85:1 (1080p/AVC MPEG-4)
Áudio: Inglês (DTS-HD Master Audio), Português, Espanhol (Dolby Digital 5.1)
Legendas: Português, Inglês, Espanhol
Região: A
Distribuidora: Fox
Discos: 1
Lançamento: 20/01/2010
Cotações: Som: *** Imagem: ****½ Filme: ** Extras & Menus: ***½ Geral: ****

SINOPSE
A tentadora Megan Fox está infernalmente provocante no papel da mais desejada líder de torcida de uma cidadezinha, que após ser possuída por um demônio fica com um apetite insaciável pela carne de rapazes. Apenas sua melhor amiga Needy (Amanda Seyfried) poderá deter a diva demoníaca antes que ela devore todos os alunos da escola.

COMENTÁRIOS
GAROTA INFERNAL foi um filme aguardado por muitos, já que marcou a parceria entre a “Gata Sci Fi” Megan Fox (TRANFORMERS) e a roteirista/produtora Diablo Cody, ganhadora do Oscar por JUNO. Dirigido por Karyn Kusama (do medíocre AEON FLUX), o filme não fez jus ao hype que teve e gerou reações controversas. Lançado sem maior alarde nos cinemas do Brasil, acabei deixando para conferi-lo, em alta definição, no aconchego do lar… e tendo-o feito, não dá para dizer que o longa seja muito mais do que é – um teen horror com sangue em profusão -, porém ele sem dúvida tem algumas características que o colocam um pouco acima da média do que vem sendo produzido no gênero, ultimamente.

Por ser um filme comandado por mulheres, não é de admirar que ele seja claramente feminista. Os personagens fortes são todos garotas, restando aos rapazes a mera função de idiotas manipuláveis que servirão de repasto para a Jennifer (Megan Fox), que após ser oferecida em sacrifício como virgem (e não era) ao demônio, vira literalmente uma devoradora de homens. Talvez por isso a sensualidade das atrizes seja pouco explorada: é como se as realizadoras não quisessem fazer concessões nem aos garotos do filme, nem aos da platéia. A nudez é mais sugerida que outra coisa, as cenas de sexo são pudicas e o momento mais quente é um beijo de língua entre as amigas Needy (Amanda Seyfried, de MAMMA MIA) e Jennifer. O que tem sua lógica dentro da trama, baseada fundamentalmente na discussão do relacionamento das duas garotas. E apesar de toda a badalação em torno da personagem de Fox, que começa já a partir do título original em inglês, é na verdade a Needy de Seyfred o fio condutor de todo o filme.

Com garotas dominadoras, elementos sobrenaturais, bandas de rock e ambientação no colegial, a impressão que tenho é que Cody, na criação de GAROTA INFERNAL, inspirou-se bastante na série de TV BUFFY, A CAÇA-VAMPIROS. Impossível não se lembrar de Buffy Sommers ao ver a aparentemente frágil Needy “chutar traseiros”, e não seria de admirar que se houvesse uma continuação ela se chamaria “Needy, a Caça-Demônios”. Uma pena que tenha faltado mais um pouco de ousadia na produção, o que poderia ter resultado em algo realmente diferenciado, talvez até mesmo um novo clássico no gênero. Ainda assim é recomendável para quem é fã deste tipo de filme e, obviamente, da belíssima Megan Fox – que vem aí em JONAH HEX, ao lado de Josh Brolin.

SOBRE O BD
Juntamente com uma versão em DVD simples para locação, GAROTA INFERNAL ganhou um lançamento nacional em Blu-ray travado para a Região A, de ótima qualidade técnica. Os menus (principais e pop up), com predomínio da cor vermelha, são atraentes – mas assim como os extras, não foram traduzidos para o português. No menu inicial você pode escolher entre assistir a Versão de Cinema (102 min.) ou a Sem Cortes (Unrated, 107 min.), que além de incluir algumas cenas adicionais ou estendidas (basicamente diálogos), apresenta mudanças na edição de outras. Esta vem sendo considerada a melhor versão. Em qualquer delas, a transferência widescreen anamórfica 1080p/AVC MPEG-4, na proporção original 1.85:1, reproduz de forma fiel as variações nos tons de pele, de especial importância no rosto de Jennifer. Sangue e efeitos de maquiagem são mostrados com elevados detalhes, em vermelho vivo. As cores nas cenas bem iluminadas, em geral, são vibrantes, e as mais escuras trazem um nível de preto excepcional. Não notei artefatos ou ruídos de qualquer espécie, e filtros como DNR e edge enhancement são inexistentes. Alguns talvez se incomodem com a granulação mais acentuada em determinados momentos, mas trata-se de um elemento natural da imagem. Não é uma transfer que vá ser considerada de referência, mas não tenho dúvida de que ela possui alta qualidade.

O mesmo pode ser afirmado em relação à faixa de áudio lossless em inglês DTS-HD Master Audio 5.1. Nas cenas mais ativas (como no incêndio do bar ou nos ataques de Jennifer) ela é potente, fazendo um uso exemplar dos canais surround. Já nos momentos mais centrados em diálogos, eles sempre soam claros, envoltos em uma atmosfera adequada. A fidelidade é excepcional, seja na reprodução das canções pop, seja em sons mais discretos. Sem dúvida, uma ótima mixagem que supre todas as necessidades do filme. Adicionalmente há dublagens Dolby Digital 5.1 em português e espanhol, e legendas em português, inglês e espanhol.

EXTRAS
Não considero trailers de outros filmes como extras por si em um DVD ou BD, mas por alguma razão obscura acabo sempre fazendo menção a eles. Assim, trailers de alguns lançamentos da Fox são reproduzidos automaticamente quando o Blu-ray é carregado. Eles podem ser acessados posteriormente através do menu principal, mas o detalhe é que, entre eles, não há um sequer de GAROTA INFERNAL. Quanto ao legítimo material suplementar, infelizmente este é mais um lançamento em Blu-ray que chega por aqui sem que nada tenha sido legendado em português. Os vídeos estão em resolução 480p (SD letterbox) ou 1080p (HD anamórfico). 

  • Comentários em áudio – Cada versão do filme recebeu uma faixa de comentários: na de cinema podemos ouvir a roteirista / produtora Diablo Cody e a diretora Kathryn Kusama, que travam uma conversa mais informal; já na sem cortes temos apenas a diretora Kusama, que entre longos silêncios fala sobre as diferenças entre uma versão e outra em determinadas cenas. Sem dúvida a faixa da versão de cinema é mais interessante, mas o fato de não terem legendas acaba tornando ambas irrelevantes para quem não domina o inglês; 
  • Deleted Scenes (HD, 13:55 min.) – Esta seção contém seis cenas excluídas, na maior parte versões mais longas de cenas existentes e que bem poderiam ter permanecido no filme – pelo menos, na versão sem cortes. Exceto pelo áudio 2.0 elas possuem qualidade quase idêntica ao filme e estão totalmente finalizadas, inclusive com trilha musical de fundo. Aparentemente a decisão de excluí-las foi de última hora, para deixar o longa com menos de duas horas de duração; 
  • Gag Reel (SD, 4:55 min.) – O que deveria ser uma coleção de erros de gravação é, na maior parte do tempo, uma espécie de featurette promocional de cenas de bastidores; 
  • ‘Jennifer’s Body’: The Dead Pool (HD, 14 min.) – Este é o único making of que você encontrará nos extras, e ainda assim destacando mais uma cena específica – a do confronto final na piscina abandonada. Quem gosta de efeitos visuais apreciará o técnico Greg Nicotero falando sobre os designs da Jennifer monstruosa que foram descartados pela equipe; 
  • Video Diaries (HD, 12:51 min.) – Reunião de vídeo-diários registrados por alguns membros do elenco e da equipe, que pelo jeito foram mais divertidos de gravar do que de assistir. Foram produzidos para a internet, e o segmento com Diablo Cody é o mais interessante; 
  • Megan Fox is Hot (HD, 0:56 min.) – O título deste curtíssimo featurette já diz tudo: ele não passa de uma seleção de cenas do filme onde Megan Fox está mais sexy. Achava que veria algo um pouco mais picante aqui, o que não acontece. A própria existência deste extra contraria o tom feminista do filme, mas de qualquer maneira acaba valendo a pena pelo visual…; 
  • Megan Fox Peer Pressure PSA (SD, 0:40 min.) – “Anúncio de utilidade pública” fake também para a internet, onde Megan fala sobre a importância das garotas do colegial serem autênticas – ainda que estejam possuídas por um demônio devorador de rapazes. E ela ainda fala palavrões!; 
  • Fox Movie Channel Presents ‘Life After Film School’ with Diablo Cody (SD, 26:26 min.) – Três estudantes de faculdades de cinema entrevistam Diablo Cody, que fala sobre a trajetória incomum de sua carreira – de stripper a roteirista ganhadora de Oscar – e a criação do roteiro de GAROTA INFERNAL. 

Jorge Saldanha
[via ScoreTrack.net]

5 comentários em “Resenha: Garota Infernal (Blu-ray)

  1. Pingback: Resenha: Garota Infernal (Blu-ray) | Movies Online

  2. OHHHHHHHHHHH, DEVE SER LINDO DE ASSISTIR….

    Curtir

  3. Pingback: Amanda Seyfried estrelará a ficção científica I’m.mortal « Sci Fi do Brasil

  4. Pingback: Novidades no elenco de I’m.mortal | SCI FI do Brasil

Comente o conteúdo da postagem

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: