Resenha: Avatar


No ano de 2154 o ex-fuzileiro paraplégico Jake Sully (Sam Worthington) viaja para a selvagem lua de Pandora, onde uma equipe terrestre estuda o ecossistema local e, principalmente, busca por um valiosíssimo minério que só existe por lá. Usando um Avatar – o corpo geneticamente criado de um nativo Na’vi para o qual sua mente é transferida – Jake integra-se a uma aldeia daquele povo de gigantes azuis para aprender seus costumes e, mais do que isso: fornecer as informações que a equipe precisa para retirar os Na’vis do local, que abriga uma rica jazida mineral. Mas Jake apaixona-se pela guerreira Neytiri (Zoe Saldana), aprende a admirar o modo de vida totalmente integrado à natureza do seu povo e acaba liderando a resistência aos terrestres exploradores.

Como se vê do resumo acima de AVATAR (2009), o primeiro filme que James Cameron dirige desde o retumbante TITANIC (1997), não temos nada de novo no front. Já vimos muitas vezes variações desta trama – o branco que passa a viver entre indígenas e que acaba tomando o partido deles no confronto com seus irmãos “civilizados”. Inclua nela referências à intervenção norte-americana no Iraque, aos próprios filmes anteriores do diretor (em especial ao tema recorrente da ganância e estupidez humanas como causa potencial ou efetiva de grandes tragédias) e o emprego de uma tecnologia cinematográfica que rompe novas barreiras, e temos um filme com muitos momentos visualmente sublimes e impressionantes (principalmente se assistidos em 3-D ou IMAX), outros que beiram a breguice… e heróis que parecem uma cruza de Smurf com Thundercat. 

Essa mistura, nas mãos de um mero diretor de blockbusters, poderia provocar indigestão no espectador; mas a mente criativa por trás de tudo isto é Cameron, um especialista em produzir narrativas de qualidade – ainda que convencionais – e que, cada uma a seu modo, revelam ser revolucionárias. Filme concebido há mais de uma década e realizado apenas quando a tecnologia necessária finalmente tornou-se disponível, AVATAR leva a captura de movimentos a um patamar inédito: podemos REALMENTE  ver a interpretação de atores como Worthington, Saldana e Sigourney Weaver nos gestos e, principalmente, nas expressões faciais de seus alteregos azuis criados em computador. Também nos computadores foi criado um ecossistema completo, com fauna e flora literalmente de outro mundo, trazidas à vida com um nível de detalhes e sofisticação estética de cair o queixo. 

Mesmo com toda a impressionante parafernália técnica, muitos torcerão o nariz para a história ecológica altamente previsível (porém creio que necessária, num momento em que os dirigentes mundiais não tem consenso em questões ambientais), os diálogos clichês, alguns furos de roteiro e o romance açucarado do casal de protagonistas. Mas a verdade é que Cameron, um dos raros cineastas contemporâneos de Hollywood que possui uma clara marca autoral – e isso tem seus prós e contras-, a cada filme prova ser um mestre em combinar a adrenalina e o esmero técnico do seu entretenimento com qualidade e emoção. E assim fazendo mostra que hoje, no mundo do Cinema, ele ainda é o Rei do Mundo – ou pelo menos da lua Pandora.

Jorge Saldanha

Anúncios

38 Comments

  1. Nossa, eu vi Avatar em 3D, foi a primeira vez que vi um filme neste formato e estou empolgado com a experiência até agora! Apesar da história batida, o filme é maravilhoso e conseguiu me deixar dentro daquele mundo de forma brilhante, não apenas com o 3D, mas com a interpretação dos personagens que me fizeram ficar tão chocado e horrorizado com as ações dos humanos quanto os Na’vi quando tiveram a sua cidade na árvore destruída em uma clara alusão a queda das torres gêmeas e ao efeito de devastação e medo que isso causou nos estadosunidenses.

    Curtir

  2. Dêm uma olhada neste vídeo bem legal com algumas explicações sobre a natureza de Pandora, o vídeo ainda elucida um pouco do porque da importância do Unobtânium, dizendo que ele é o condutor mais eficiente conhecido pelo Homem.

    Curtir

    1. Uma coisa que achei estranha na natureza do planeta é que todas as formas de vida superiores terrestres possuíam 6 membros, já os Na’vi apenas 4 como os humanos… parece haver alguma incongruência evolucionária aí.

      Curtir

      1. Não nescessáriamanete, os Na’vi podem ter perdido o par extra de pernas em adaptação para a vida bípede, isso seia perfeitamente possível. Mas que seria interessante ver os Na’vi com 6 membros como no resto do planeta isso seria mesmo!

        Curtir

        1. Bem, uso o paralelo com a evolução ocorrida na Terra, onde todos os nossos parentes que estão numa escala evolucionária anterior à nossa (aves, répteis e mamíferos) desenvolveram quatro membros. Certo, alguns perderam um par de membros, em outros eles viraram asas, mas em qualquer caso sempre restou um vestígio desses antigos membros. Mas enfim, foi uma “liberdade poética” do Cameron para humanizar mais seus Na’vis, de forma a que o público melhor se identificasse com eles.

          Curtir

          1. Não necessáriamente, veja as cobras por exemplo, elas perderam os 4 membros e ficaram sem vestígio aparente deles, outro grande caso de perda de uma característica é a cauda em nós humanos, ainda temos vestígios dela, só que não é visível.

            Eu também acho que os Na’vi poderiam ser menos humanóides e tal, eles possuem cabelo, coisa que é uma característica de nós mamíferos, mas essa humanização deles serve ao propósito de criar uma identificação com o público, porque infelizmente nós não iríamos gostar tanto deles se eles fossem parecidos com os ‘Camarões’ de Distrito 9…..

            Curtir

  3. Galera.. Os aliens tem cara, expressões facias, gestos, sentimentos e sorriem como humanos, ou seja, são humanos esticados devido a baixa gravidade do planeta.. e vc estão discutindo se eles deveriam ter 6 membros (pô os caras colocaram até mamilo nos bichos)?!?! acho que não ia pegar muito bem para o resto dos humanos aqui na terra que assistiram o romance né?? afinal, a alienzinha tem que lembrar uma humana não?? O filme realmente é muito bom, porém acho que eles exageraram um pouco no GI Joe! Aqui na terra o pessoal para obras gigantescas por causa de uma rã (o que eu acho extremamente correto e necessário, apesar de ser engenheiro), vcs acham que não ia ter um puta investimento nessa área por causa de uma biodiversidade daquele tamanho?? Exageros e cliches a parte (já citados pelo Jorge), o filme bateu em muito minhas expectativas.. achei excelente e tirando os aliens que são iguais aos humanos, os caras capricharam na natureza no geral (tirando algumas samambaias e árvores que não necessáriamente tem que formar clorofila ou madeira como conhecemos)..

    Curtir

  4. eu gostei dos Na’vis
    não vejo nada de ruim em eles serem humanoides, e pensando bem por que a gente tem sempre que associar as caracteristicas(sentimentos,expressões faciais,gestos etc..) deles como humanas ou humanoides ein?

    Curtir

  5. Gostei do filme mas achei a trama meio clichê e o filme um tanto quanto longo.

    Os efeitos realmente são de cair o queixo.

    Que venha a continuação!

    Saudações!

    Curtir

        1. Fabiano, acredite: se você baixou uma cópia grotesca de um filme feito para ser visto em telas gigantes e em 3-D, não merece piedade (até porque você só pensa que viu o filme). MORRA!!!!!

          Curtir

  6. Se Harry Potter fez sucesso, quer dizer ainda faz, repetindo fórmulas, com algumas estórinhas sem graça, ou repetidas, algumas mais elaboradas, algumas infantis demais e clichês pra lá de conhecidos, sendo que o que salva sempre é a computação gráfica, então Avatar tem chance de continuar sendo um sucesso e gerar outra continuações sem dúvidas.

    Curtir

  7. Mesmo que eu morra, ao menos vi a trama hehehehe, mas pode ter certeza que o BD ja vou comprar assim como os de SW e ST que ja estão a caminho…

    Curtir

  8. Bom no Amazon, eu ja me inscrevi para me avisar quando chegar….
    Mas falando sério, o filme que assisti de Avatar nem tenho mais, e estou ancioso para ver ele em BD.

    Curtir

  9. Gente peço que ajude-me a encontra 2 pontos negativos e 2 pontos positivos ao longo deste filme nesse texto , ficarei eternamente grata ao caro (a) amigo(a).

    Curtir

Comente o conteúdo da postagem

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s