Filmes Resenhas - DVD e Blu-ray Resenhas - Filmes Séries

Resenha: Jornada nas Estrelas – Original Motion Picture Collection (Blu-ray)


st_colBDProdução: 1979 – 1991
Duração: 684 min.
Direção: Vários
Elenco: William Shatner, Leonard Nimoy, DeForest Kelley, James Doohan, Nichelle Nichols, George Takei, Walter Koenig, Ricardo Montalban, Christopher Lloyd, Brock Peters, Lawrence Luckinbill, Christopher Plummer, David Warner
Vídeo: Widescreen Anamórfico 2.35:1 (1080p/AVC MPEG-4)
Áudio: Inglês (Dolby TrueHD 7.1), Francês, Espanhol (Dolby Digital 2.0)
Legendas: Português, Inglês, Espanhol
Nº de discos: 7
Região: A, B, C
Distribuidora: Paramount
Lançamento: 20/07/2009
Cotações: Som: ****½ Imagem: ***½ Filme: **** Extras & Menus: ***** Geral: ****

SINOPSE
JORNADA NAS ESTRELAS: O FILME – O Almirante Kirk (William Shatner) reúne sua velha tripulação a bordo da recém modernizada nave estelar Enterprise, que é enviada para investigar uma misteriosa nuvem de energia alienígena que se dirige para a Terra.

JORNADA NAS ESTRELAS II: A IRA DE KHAN – A rotina do Almirante Kirk na Academia da Frota Estelar é interrompida pela volta de Khan (Ricardo Montalban), seu antigo inimigo que busca vingança e a posse de um dispositivo potencialmente destrutivo.

JORNADA NAS ESTRELAS III: À PROCURA DE SPOCK – Kirk e sua tripulação roubam a Enterprise e vão para o planeta Vulcano, para que o espírito de Spock (Leonard Nimoy) possa retornar ao corpo que foi resgatado do planeta Gênesis. Mas a nave é perseguida pelo Klingon Kruge (Christopher Lloyd), que busca a tecnologia Gênesis.

JORNADA NAS ESTRELAS IV: A VOLTA PARA CASA – No século 23 uma sonda alienígena envia à Terra sinais que evaporam os mares e destroem a atmosfera. Voltando de Vulcano Kirk e sua tripulação tomam conhecimento da ameaça, e decidem voltar ao passado para salvar a Terra.

JORNADA NAS ESTRELAS V: A ÚLTIMA FRONTEIRA – Em uma missão de resgate a tripulação da Enterprise encontra o Vulcano renegado Sybok (Lawrence Luckinbill), que assume o controle da nave para levá-la em uma missão perigosa – encontrar Deus.

JORNADA NAS ESTRELAS VI: A TERRA DESCONHECIDA – As negociações de paz entre a Federação e o Império Klingon são prejudicadas por um atentado, que leva à condenação de Kirk e McCoy (DeForest Kelley). Com a ajuda da tripulação eles deverão fugir da prisão Klingon e revelar os verdadeiros culpados.

COMENTÁRIOS

Costumo dizer que, como cinema, os filmes de JORNADA NAS ESTRELAS não são grandes obras. Mas isso por si não deve ser visto como um demérito a eles, mas como a constatação prática de que os filmes mais queridos pelos fãs da franquia são os que melhor exploram os elementos das séries originais, e não os cinemáticos. Afinal, foi na tela pequena que os fãs aprenderam a amar as aventuras dos tripulantes da Enterprise, e no fundo o que eles esperam é ver na tela grande mais do mesmo – ainda que com o acabamento superior que um filme de cinema deve ter. E isso nos leva diretamente a JORNADA NAS ESTRELAS – O FILME (1979), o único dos filmes originais a receber tratamento digno de uma produção cinematográfica de primeira linha (entenda-se: grande orçamento). Inclusive, ele foi um dos últimos filmes com uma introdução orquestral antes dos créditos (nos moldes de épicos de Hollywood como BEN HUR), onde ouvimos o belo “Ilia’s Theme”, uma das composições da excelente trilha sonora de Jerry Goldsmith. Contando com uma equipe de primeira linha, encabeçada pelo famoso diretor Robert Wise (O DIA EM QUE A TERRA PAROU, O ENIGMA DE ANDRÔMEDA), o filme possui uma trama cerebral baseada no episódio da SÉRIE CLÁSSICA “Nômade”. Com um script conturbado em razão dos conflitos criativos entre os roteiristas, Gene Roddenberry e até mesmo os astros William Shatner e Leonard Nimoy, ele resultou longo, frio e com uma trama que não explora todo o potencial do reencontro do trio Kirk, Spock e McCoy a bordo da Enterprise. Além disso uma série de percalços de produção levaram a que o filme fosse lançado com vários problemas técnicos (muitos efeitos visuais, embora supervisionados por feras como Douglas Trumbull e John Dyksra, foram mal finalizados) e estruturais (montagem), o que causou a impressão de que fora lançado de forma inacabada. Parte deles foi resolvida com o lançamento em DVD, em 2001, da versão supervisionada diretamente por Robert Wise. Mas o que temos agora neste box é a versão original do cinema, em toda a sua paquidérmica glória, mas que ainda assim reserva momentos de emoção para os fãs – com destaque para a longa inspeção de Kirk da reformada Enterprise NCC-1701, ainda na doca espacial, ao som da memorável música de Goldsmith.

Apesar dos pesares o filme de 1979 foi um sucesso e garantiu uma continuação feita com recursos bem menores, JORNADA NAS ESTRELAS II: A IRA DE KHAN (1982), mas que se tornou o melhor filme da franquia e conseguiu extrapolar o “nicho STAR TREK”, passando até a ser uma referência na cultura pop mundial. Exemplo disso é a citação ao velho ditado Klingon “A vingança é um prato que se serve frio” no início do KILL BILL de Quentin Tarantino. O filme dá seguimento a um dos melhores episódios da SÉRIE CLÁSSICA, “Semente do Espaço”, e dele resgata o maior vilão da franquia, Khan Noonien Singh (Ricardo Montalban). O vilão, aliás, é uma das grandes vantagens deste longa sobre os demais (inclusive do recente longa de J.J. Abrams). Comparar Khan, em inspirado desempenho de Montalban, com o Nero de STAR TREK, e pior ainda, com o Shinzon de NÊMESIS, chega a ser covardia. Mas além disso sentem-se os aspectos revigorantes propiciados pela entrada do diretor Nicholas Meyer e do produtor Harve Bennett na equipe. O filme tem uma atmosfera sombria, de perigo latente, e é todo construído como uma grande aventura naval no espaço. A Enterprise realmente parece ser uma nave militar, e os combates espaciais, brilhantemente realizados pela equipe da ILM, também seguem o estilo naval, como se tratasse de um duelo de submarinos – algo no estilo do que vimos no episódio da SÉRIE CLÁSSICA “O Equilíbrio do Terror”. Além disso, como roteiristas não-creditados, Meyer e Bennett adicionaram muitas referências à literatura clássica (Moby Dick, por exemplo) nos diálogos, o que enriquece a trama. E a eletrizante trilha original de James Horner tornou-o um dos compositores mais requisitados do cinema. Vale ressaltar que esta nova versão em DVD e Blu-ray de A IRA DE KHAN não é a mesma “Versão do Diretor” lançada anteriormente, portanto tem alguns minutos a menos. Mas em qualquer versão que seja, este filme é ótimo do início ao fim (e que fim!), e inaugurou a mítica de que, nos filmes de JORNADA NAS ESTRELAS, os de número par são sempre melhores que os de número ímpar. Talvez seja por isso que, depois de algum tempo, eles deixaram de ser numerados.

O final de A IRA DE KHAN, quando após o funeral de Spock vemos seu esquife no planeta Gênesis, implorava por uma continuação, e ela chegou com JORNADA NAS ESTRELAS III: À PROCURA DE SPOCK (1984). Para mim, esta estréia na direção de Leonard Nimoy nunca foi um destaque da série, ficando em um razoável meio termo entre os que considero melhores e os piores (estes dominados por quase todos os longas da NOVA GERAÇÃO). Houve uma flagrante intenção de corrigir pretensas falhas do capítulo anterior (se naquele Kirk nunca confrontou pessoalmente Khan, agora foi providenciado um confronto físico entre o almirante e o vilão Klingon Kruge). Mas acima de tudo o filme, conceitualmente, foi produzido para trazer Spock de volta do além, e seu roteiro teria de arranjar soluções satisfatórias para esta demanda, a partir do gancho deixado em A IRA DE KHAN (“Lembre-se!”). Apesar de não ter resultado tão bom como poderia ser (até mesmo a trilha de James Horner não está à altura da anterior), o fato é que este terceiro longa acabou sendo importante para a mitologia de JORNADA, já que nele há acontecimentos de grande relevância, como a primeira aparição de uma Ave de Rapina Klingon e da Excelsior (a futura nave do Capitão Sulu), a morte do filho de Kirk, a destruição da Enterprise original e, é claro, a volta de Spock ao mundo dos vivos e o seu reencontro com os amigos, na tocante cena final.

No que seria a conclusão de uma trilogia não planejada iniciada com A IRA DE KHAN, o filme seguinte foi JORNADA NAS ESTRELAS IV: A VOLTA PARA CASA (1986), que acabou tornando-se um dos mais globalmente populares da série, provavelmente por causa da mensagem ecológica da trama leve e bem humorada – ficou conhecido como “o filme das baleias”. Mas, indo na contramão da maioria, acho este, novamente dirigido por Nimoy e com a participação de Nicholas Meyer no roteiro, um dos piores filmes com a tripulação original, que utiliza uma solução simplória para resolver a crise (Ah, as baleias estão extintas no século 23? Simples, voltemos no tempo até o século 20 para pegar um casal de jubartes!) e trata com um humor forçado tragédias potenciais (como a perseguição a Chekov, ao som de uma trilha alegre e deslocada de Leonard Rosenman, que termina com o russo à beira da morte). Revisto hoje o filme me parece ser ainda pior, apesar de se manter como uma diversão rápida e rasteira que, no final, mostra o rebaixamento de Kirk ao seu posto anterior (Capitão) e o surgimento da nova Enterprise NCC 1701-A.

JORNADA NAS ESTRELAS V: A ÚLTIMA FRONTEIRA (1989) foi o primeiro e o último filme da franquia dirigido por William Shatner, e infelizmente é daqueles que parece confirmar a “maldição dos números ímpares”. O começo até que é bom, quando vemos a tripulação durante uma folga no Parque Yosemite. Mas a boa premissa é desperdiçada com efeitos visuais medíocres (dessa vez a cara ILM foi deixada de lado) e cenas constrangedoras, como a de um diplomata Klingon bêbado arrotando e Uhura mostrando as veteranas pernocas para um bando de alienígenas no atraso. Sem falar no vilão Klingon, que parece saído de uma banda de trash metal. E se a ambição de Sybok – encontrar o paraíso habitado por Deus – parece grandiosa, ela esbarra nos obviamente parcos recursos de produção. Aliás, segundo Shatner a falta de dinheiro foi o que mais prejudicou o filme, mas foi isso que levou ao corte da cena de Kirk, no final, enfrentando homens de pedra – o que, convenhamos, evitou que o filme caísse num ridículo atroz. Enfim, temos aqui o mais fraco filme da coleção, mas que ainda assim vale a pena pela ótima trilha de Jerry Goldsmith e pelas cenas de Kirk, Spock e McCoy confraternizando em volta da fogueira.

Já com o elenco original envelhecido e merecendo a aposentadoria, Nicholas Meyer retornou à direção com JORNADA NAS ESTRELAS VI: A TERRA DESCONHECIDA (1991), que comemorou os 25 anos da franquia e encerra com chave de ouro este box de filmes com a tripulação clássica. Meyer, além de dirigir, também ajudou a escrever o roteiro baseado em uma idéia de Leonard Nimoy que, a partir da comparação dos Klingons com os soviéticos, essencialmente adaptou para o futuro e para as estrelas o fim da Guerra Fria, precipitada pela crise que atingiu a União Soviética após a explosão da usina nuclear de Chernobyl. Alguns poderão criticar o filme por, em princípio, ser um tanto atípico para a série. Mas o fato é que essa é uma avaliação superficial e precipitada: a inteligência de sua concepção e o toque pessoal de Meyer, que entre outras coisas fez do General Chang (Christopher Plummer) um vilão que recita Shakespeare – em klingonês! – proporciona alguns dos melhores momentos de toda a franquia. Aliás, como em A IRA DE KHAN, as referências literárias de Meyer (como o nome do planeta prisão, Rura Penthe, retirado de 20.000 Léguas Submarinas) robustecem a trama cheia de complôs, que desemboca em uma movimentada conclusão quando a Enterprise e a Excelsior enfrentam a Ave de Rapina de Chang, paralelamente às negociações de paz. Para os fãs de SEX AND THE CITY o filme tem um atrativo a mais: ver Kim Cattrall, hoje mais conhecida como a Samantha da série da HBO, como a Tenente Valeris. Além disso Christian Slater, fã da série e à época em ascensão, tem uma ponta como um tripulante da Excelsior que trava um pequeno diálogo com o Capitão Sulu (George Takei). Um grande filme, com uma poderosa trilha musical do então novato Cliff Eidelman, criado para marcar de forma digna a despedida dos atores e personagens da SÉRIE CLÁSSICA. Pena que no longa seguinte, GENERATIONS, já com a tripulação de Picard, tenham trazido de volta Kirk para morrer de forma patética.

O BD
Coincidindo com o lançamento do novo filme STAR TREK, de J.J. Abrams, a Paramount relançou em DVD e Blu-ray os seis primeiros filmes de JORNADA NAS ESTRELAS, estrelados pela tripulação da SÉRIE CLÁSSICA. Em Blu-ray, os sete discos do box são exatamente os mesmos lançados nos EUA, o que significa que os filmes possuem legendas em português mas não trazem nossas dublagens – um padrão da distribuidora que poderia mudar, já que os DVDs autorados aqui as possuem. E, afinal de contas, o Brasil é um dos maiores mercados de home video do mundo e a inclusão do áudio em português ajudaria a difusão do novo padrão por aqui. A embalagem do box nacional, excelente por sinal, é similar à do norte-americano, porém sem o plástico transparente que envolve a luva de cartolina e, por não utilizar estojos slim, possui quase o dobro da largura daquele. Cabe destacar que todos os filmes do box estão apresentados no corte original de cinema, portanto há pelo menos três deles – I, II e VI – que diferem dos lançamentos anteriores em DVD, que trouxeram versões do diretor ou com cenas adicionais.

No que toca à qualidade técnica das apresentações, se constata que a distribuidora não teve o mesmo esmero dedicado ao lançamento das temporadas remasterizadas da SÉRIE CLÁSSICA, cujos episódios foram restaurados e ganharam ótimas (e novas) transfers em alta definição. Quanto ao áudio não há maiores problemas, exceto pela ausência de dublagens em português. Os filmes receberam faixas lossless em inglês Dolby TrueHD 7.1 de alta qualidade, que reproduzem com clareza e fidelidade os diálogos e as trilhas musicais, e que realçam os efeitos sonoros nos canais surround – ainda que, especialmente nos filmes mais antigos, a mixagem concentre mais o som nos canais dianteiros, com a expansão do campo sonoro ocorrendo principalmente nas cenas de ação. Quando isso acontece, as faixas tornam-se adequadamente imersivas. Também há disponíveis dublagens em francês (Dolby 2.0 ou 5.1) e espanhol (Dolby Mono). As legendas disponíveis são português, inglês e espanhol.

Quando passamos à avaliação da imagem é que surge o problema. Os filmes estão apresentados no formato anamórfico 2.35:1, em transferências 1080p/AVC MPEG-4, e sem dúvida em Blu-ray possuem uma qualidade bem superior à dos DVDs anteriores. Mas a própria Paramount informa que, do lote, apenas A IRA DE KHAN recebeu uma nova transfer HD, e mesmo nela notamos a aplicação de DNR, feita em maior ou menor grau de acordo com o filme. A qualidade do vídeo de JORNADA NAS ESTRELAS: O FILME é boa, apresentando um razoável nível de detalhes, em que pese a filtragem digital que deixa a imagem suave demais em determinados momentos. Não raro os “defeitos” especiais ficam bem destacados pela alta definição – na composição das imagens, em especial na cena da doca espacial, o contorno dos objetos em movimento é instável; em determinados momentos podemos ver as estrelas de fundo através de segmentos sólidos da Enterprise; e numa tomada mais de perto, vê-se que a borda da seção disco da nave simplesmente some. Passando para A IRA DE KHAN, de fato temos uma imagem superior à dos demais longas, com DNR mais discreto, ótimo nível de detalhes, pretos fortes, cores vivas e firmes e um pouco da granulação natural da película preservada.

À PROCURA DE SPOCK tem uma boa imagem, com cores vivas e pretos sólidos, mas a redução digital de ruídos praticamente eliminou a granulação original, e com ela parte dos detalhes finos. Já A VOLTA PARA CASA tem a pior imagem do conjunto, com forte DNR que dá a ela uma aparência “lavada”. Não ajuda o fato do filme não ter um contraste muito grande e pretos inconsistentes, mas pelo menos as cores estão boas. A verdade é que nunca gostei muito da imagem do quarto filme desde os tempos do VHS, e parece que em alta definição ela fica ainda pior. Em A ÚLTIMA FRONTEIRA a coisa melhora, com o DNR poupando boa parte da nitidez. As cores são vibrantes e o nível do preto é sólido, e para minha surpresa o maior detalhamento não prejudicou as tomadas de efeitos, que como já referi não são grande coisa. Finalmente A TERRA DESCONHECIDA mantém o padrão de boas cores, pretos fortes e nível de detalhes muito bom, mas que poderia ser muito melhor não fosse pelo onipresente DNR. O curioso é que este filme foi rodado no aspect ratio de 2.00:1, e foi nesta proporção de imagem que ele foi lançado no DVD duplo contendo a versão com algumas cenas alternativas. Mas esta é a versão que passou nos cinemas estadunidenses, portanto a tela foi adaptada para o aspecto 2.35:1, mas que não acarreta perdas de grande monta.

OS EXTRAS
O box com os seis filmes da tripulação original da Enterprise contém uma quantidade elevada de extras, ainda que haja omissões em relação aos DVDs duplos anteriores. Isso é compensado com a adição de novos vídeos em HD, produzidos para este relançamento. Apenas em Blu-ray os filmes possuem o recurso Star Trek IQ (BD-Live), que permite a criação de jogos de múltipla escolha e seu compartilhamento online, e o Library Computer Access, recurso que durante cada filme dá acesso a um índice de informações e curiosidades em texto – selecione o tópico desejado e a informação surgirá em uma janela pop up. Todos os vídeos receberam legendas em português, o que não ocorreu com os comentários em áudio e os textos do Library Computer Access. Vejamos, disco a disco, o material suplementar (como os menus estão em inglês, mantive o título da maior parte dos extras nesse idioma), que está concentrado principalmente nas seções “Production” e “The Star Trek Universe”:

JORNADA NAS ESTRELAS: O FILME

  • Comentários em Áudio – Os especialistas em Star Trek Michael e Denise Okuda, Judith e Garfield Reeves-Steves e Daren Docterman demonstram amar a franquia e conhecê-la profundamente, em comentários informativos e que nunca se tornam maçantes;
  • The Longest Trek: Writing The Motion Picture (HD, 11 min.) – Garfield e Judith Reeves-Stevens falam sobre como o filme aconteceu após várias diferentes tentativas;
  • Special Star Trek Reunion (HD, 9:30 min.) – Mostra um encontro de alguns notórios fãs (como Bjo Trimble e o filho de James Doohan) que tiveram a sorte de trabalhar como extras no primeiro filme;
  • Starfleet Academy SciSec Brief 001: Mystery Behind V’Ger (HD, 4:50 min.) – Uma Oficial de Ciências da Frota Estelar explica as origens de V’Ger, com a ajuda de gráficos e cenas do filme;
  • Deleted Scenes (SD, 8 min.) – 11 cenas eliminadas da montagem final, reprisadas do DVD anterior.
  • Completam os extras do disco 1 Storyboards, dois trailers (HD, 6 min.) e sete comerciais de TV (SD, 3:50 min.).

JORNADA NAS ESTRELAS II: A IRA DE KHAN

  • Comentários em Áudio – Além da ótima faixa com Nicholas Meyer que o DVD já tinha, para este relançamento em Blu-ray foi incluída uma nova com Meyer e um dos realizadores de ENTERPRISE, Manny Coto, que demonstra ser um verdadeiro fã que teve a sorte de acabar trabalhando na franquia;
  • Captain’s Log (SD, 27 min.) – Ótimo documentário que inclui depoimentos dos principais envolvidos (Meyer, Shatner, Montalban e Nimoy, entre muitos) sobre suas experiências na realização do filme;
  • Designing Khan (SD, 24 min.) – Extra relativo à criação dos figurinos, cenários e direção de arte;
  • Original Interviews with William Shatner, Leonard Nimoy, DeForest Kelley and Ricardo Montalban (SD, 11 min.) – Como o nome indica, temos aqui um conjunto de entrevistas de arquivo com os atores;
  • Where No Man Has Gone Before – The Visual Effects of Star Trek II: The Wrath of Khan (SD, 18 min.) – Featurette onde Ken Ralston e outros técnicos de efeitos visuais falam sobre seu trabalho no filme, utilizando fotos e vídeos de bastidores;
  • James Horner: Composing Genesis (HD, 9:50 min.) – O premiado compositor fala sobre seus métodos de trabalho (uso de temas, o acompanhamento musical de determinadas sequências, etc.);
  • Collecting Star Trek’s Movie Relics (HD, 11 min.) – O colecionador Alec Peters fala sobre como adquiriu ao longo dos anos centenas de objetos de cena da franquia;
  • A Novel Approach (SD, 29 min.) – Documentário focado em dois autores, Julia Ecklar e Greg Cox, que escreveram algumas das muitas novelizações de JORNADA NAS ESTRELAS;
  • Starfleet Academy SciSec Brief 002: Mystery Behind Ceti Alpha VI (HD, 3 min.) – A Oficial de Ciências retorna para explicar algumas teorias sobre o que aconteceu a Ceti Alpha V e seus habitantes – Khan e seus seguidores;
  • Tribute to Ricardo Montalban (HD, 5 min.) – Nicholas Meyer lembra o ator recentemente falecido.
  • Os extras do disco 2 ainda incluem 13 Storyboard Concepts e o trailer de cinema (HD, 2:50 min.).

 JORNADA NAS ESTRELAS III: À PROCURA DE SPOCK

  • Comentários em Áudio – Já existente no DVD anterior, esta faixa traz o diretor Leonard Nimoy, o roteirista/produtor Harve Bennett, o diretor de fotografia Charles Correll e a atriz Robin Curtis (Saavik). As participações foram gravadas separadamente e há pausas entre os comentários, mas é uma faixa interessante e informativa. Além dela temos outra, criada especialmente para o BD com a participação de Ronald D. Moore e Michael Taylor. Ambos já trabalharam na franquia, e nos dão uma diferente perspectiva do filme;
  • Captain’s Log (SD, 26 min.) – Bom making of com entrevistas dos principais envolvidos, tratando inclusive da promoção de Nimoy a diretor;
  • Terraforming and the Prime Directive (SD, 26 min.) – Uma abordagem mais científica do conceito de terraformação e as implicações de se criar vida em outros planetas;
  • Industrial Light and Magic: The Visual Effects of Star Trek (HD, 14 min.) – Featurette que trata dos efeitos criados pela ILM de George Lucas para a série, com depoimentos de técnicos e cenas dos filmes;
  • Spock: The Early Years (HD, 6:30 min.) – O ator Stephen Manly, que interpretou o Spock de 17 anos, conta a história de sua participação no filme, com ênfase no rito sexual Vulcano do Pon-Farr (sim, o jovem Spock fez sexo com Saavik);
  • Space Docks and Birds of Prey (SD, 28 min.) – Uma visão detalhada do trabalho dos profissionais da ILM que criaram os modelos das naves;
  •  Speaking Klingon (SD, 21 min.) – O linguista Marc Okrand fala sobre como ele criou as linguagens Klingon e Vulcana;
  •  Klingon and Vulcan Costumes (SD, 12 min.) – Extra focado na equipe que criou parte dos figurinos e maquiagens alienígenas para os filmes;
  •  Star Trek and the Science Fiction Museum and Hall of Fame (HD, 17 min.) – Uma visão dos objetos expostos no museu de Seattle, com o produtor Harve Bennett e o colunista Mark Rahner falando sobre o trabalho de Bennett em JORNADA NAS ESTRELAS;
  • Starfleet Academy SciSec Brief 003: Mystery Behind the Vulcan Katra Transfer (HD, 2:30 min.) – A Oficial de Ciências volta para, com o auxílio de diagramas, explicar o antigo ritual Vulcano.
  • Encerram os extras do disco Photo Galleries (Production e The Movie), dez galerias de Storyboards e o trailer de cinema (HD, 1 min.).

JORNADA NAS ESTRELAS IV: A VOLTA PARA CASA

  • Comentários em Áudio – William Shatner e Leonard Nimoy, na faixa retirada do DVD duplo anterior, assistem juntos ao filme e dividem conosco suas memórias sobre a produção. Há grandes silêncios entre os comentários, e Nimoy parece estar mais à vontade, inclusive contando alguns fatos engraçados. Mais interessante é a nova faixa com comentários dos roteiristas Roberto Orci e Alex Kurtzman, que escreveram o novo STAR TREK e demonstram ser verdadeiros fãs;
  • Future’s Past: A Look Back (SD, 27:30 min.) – Principal documentário sobre a produção do filme, com depoimentos de Nimoy e demais envolvidos;
  • On Location (SD, 7:50 min.) – Mostra as filmagens em locação realizadas em São Francisco;
  • Dalies Deconstruction (SD, 4 min.) – Em tela dividida, vemos múltiplas tomadas e ângulos da cena nas ruas de São Francisco;
  • Below-the-Line: Sound Design (SD, 12 min.) – Extra dedicado à criação dos efeitos sonoros, com a participação do editor de som Mark Mangini;
  • Pavel Chekov’s Screen Moments (HD, 6 min.) – Walter Koenig fala sobre seu maior tempo de exposição neste filme, e de como seu personagem finalmente recebeu a atenção que merecia. Pena que, para mim, seus momentos são os que menos gosto;
  • Time Travel: The Art of the Impossible (SD, 12 min.) – Alguns físicos fazem uma discussão mais científica sobre a viagem no tempo;
  • The Language of Whales (SD, 6 min.) – Featurette dedicado aos sons que as baleias usam para se comunicar;
  • A Vulcan Primer (SD, 8 min.) – Uma visão dos Vulcanos, e uma breve exploração de sua natureza;
  • Kirk’s Women (SD, 8 min.) – Depoimentos de quatro atrizes que interpretaram interesses (via de regra românticos) do Capitão Kirk;
  • Star Trek: Three Picture Saga (HD, 10 min.) – Os produtores Harve Bennett e Ralph Winter, entre outros, falam sobre a trilogia formada pelos filmes II, III e IV. Walter Koenig revela a verdade sobre Khan ter reconhecido Chekov no filme, apesar de no episódio “Semente do Espaço” eles não terem se encontrado;
  • Star Trek for a Cause (HD, 5:30 min.) – Dois representantes do Greenpeace falam sobre a importância das baleias e a mensagem ecológica do filme;
  • Starfleet Academy SciSec Brief 004: The Whale Probe (HD, 3:30 min.) – A Oficial de Ciências fala sobre o pouco que se conhece sobre a sonda alienígena que procurou contato com as baleias da Terra;
  • From Outer Space to the Ocean (SD, 15 min.) – Vídeo que mostra a criação das baleias, da sonda alienígena, da Ave de Rapina e da sequencia do sonho;
  • The Bird of Prey (SD, 3 min.) – Já este se dedica unicamente ao visual da nave Klingon e o sound design;
  • Original Interviews (SD) – Entrevistas de 1986 com William Shatner (14:50 min.), Leonard Nimoy (16 min.) e o falecido DeForest Kelley (13 min.);
  • Roddenberry Scrapbook (SD, 8 min.) – O filho de Gene Roddenberry, Eugene, fala sobre seu pai;
  • Featured Artist: Mark Leonard (SD, 13 min.) – A viúva e as filhas do ator relembram o intérprete original do pai de Spock, Sarek;
  • Production Gallery (SD, 4 min.) – Montagem de cenas de bastidores e fotos, acompanhada pela trilha de Leonard Rosenman;
  • O disco 4 ainda traz como extras Storyboards e o trailer de cinema (HD, 2:30 min.).

JORNADA NAS ESTRELAS V: A ÚLTIMA FRONTEIRA

  • Comentários em Áudio – Também aqui temos duas faixas de comentários: a primeira, já disponível no DVD anterior, traz o diretor/ator William Shatner e sua filha Liz comentando, entre longas pausas, os desafios de realizar o filme; a segunda, produzida para este relançamento, é melhor e mais divertida, trazendo Michael e Denise Okuda, Judith e Garfield Reeves-Steves e Daren Docterman;
  • Harve Bennett’s Pitch to Sales Team (SD, 1:30 min.) – O produtor dirige-se aos anunciantes, dizendo que JORNADA 5 será um excelente filme…;
  • The Journey: A Behind-The-Scenes Documentary (SD, 29 min.) – Uma visão franca sobre a produção do filme, com a participação de boa parte do elenco e da equipe;
  • Make-Up Tests (SD, 10 min.) – Coleção de testes de maquiagem dos diferentes alienígenas que aparecem no filme;
  • Pre-visualization Models (SD, 1:30 min.) – Hoje as pré-visualizações de efeitos visuais são feitas em CGI, mas na época foram utilizados bonecos e naves de brinquedo;
  • Rockman in the Raw (SD, 5:50 min.) – Trata do desenvolvimento do Homem de Pedra que foi cortado, incluindo cenas de teste;
  • Star Trek V Press Conference (SD, 13:30 min.) – Entrevistas do elenco concedidas no ultimo dia das filmagens principais;
  • Herman Zimmerman: A Tribute (SD, 19 min.) – Tributo ao falecido desenhista de produção de JORNADA NAS ESTRELAS;
  • Original Interview: William Shatner (SD, 14:30 min.) – Entusiasmada entrevista concedida por Shatner antes do início das filmagens;
  • Cosmic Thoughts (SD, 13 min.) – Abordagem dos aspectos religiosos da franquia, com a participação de vários especialistas;
  • That Klingon Couple (SD, 13 min.) – O foco aqui são os atores Todd Bryant e Spice Williams e seus personagens Klingons;
  • A Green Future? (SD, 9:30 min.) – Outro featurette dedicado à preservação do meio-ambiente;
  • Star Trek Honors Nasa (HD, 10 min.) – Aborda o relacionamento da NASA e JORNADA NAS ESTRELAS, e como uma influenciou a outra (vice-versa) ao longo dos anos;
  • Hollywood Walk of Fame: James Doohan (SD, 3 min.) – Vídeo de 2004 que documenta o momento em que o falecido Doohan, já debilitado pela doença, recebe sua estrela na Calçada da Fama de Hollywood, com a presença de Walter Koenig e George Takei;
  • Starfleet Academy SciSec Brief 005: Nimbus III (HD, 3 min.) – A Oficial de Ciências traz de volta seus diagramas e cenas do filme para falar sobre a colônia no planeta Nimbus III.
  • Completam os extras do disco 5 quatro cenas eliminadas (SD, 4 min.), Production Gallery (SD, 4 min.), que mostra fotos da produção acompanhadas pela trilha de Jerry Goldsmith, Storyboards, dois trailers de cinema (HD, 4 min.) e sete comerciais de TV (SD, 3 min.).

JORNADA NAS ESTRELAS VI: A TERRA DESCONHECIDA

  • Comentários em Áudio – Temos a faixa de comentários do DVD duplo anterior, com o diretor/roteirista Nicholas Meyer e o co-roteirista Denny Martin Flinn enfatizando as referências à Guerra Fria na trama. Além dela temos uma nova e interessante faixa de comentários com o escritor e fã Larry Nimicek e o ex-produtor e roteirista da NOVA GERAÇÃO e DEEP SPACE 9, Ira Steven Behr;
  • The Perils of Peacemaking (SD, 26:30 min.) – Uma visão do filme sob um contexto histórico, em especial no que se refere à Guerra Fria, com depoimentos de Meyer, Nimoy, políticos, etc.;
  • Conversations with Nicholas Meyer (SD, 9:30 min.) – O diretor fala abertamente sobre o filme, sua colaboração na franquia e os atores;
  • Klingons: Conjuring the Legend (SD, 20:50 min.) – Ótimo featurette que abrange as aparições dos Klingons na franquia, desde a SÉRIE CLÁSSICA, passando pelos filmes, e até as séries derivadas;
  • Federation Operatives (SD, 5 min.) – Uma rápida passada pelos atores que interpretaram mais de um papel nos filmes e séries da franquia;
  • Penny’s Toy Box (SD, 6 min.) – A arquivista da Paramount Penny Juday mostra vários objetos de cena usados nos filmes;
  • Together Again (SD, 5 min.) – Saiba as circunstâncias em que as carreiras de William Shatner e de Christopher Plummer se cruzaram antes deste filme;
  • Tom Morga: Alien Stuntman (HD, 5 min.) – Morga é o dublê que mais alienígenas interpretou nos filmes da franquia, desde 1979;
  • To Be or Not to Be: Klingons and Shakespeare (HD, 23 min.) – Acredite se quiser, mas já houve uma montagem de Hamlet em klingonês. Veja como ela foi traduzida e apresentada;
  • Starfleet Academy SciSec Brief 006: Praxis (HD, 2:30 min.) – A Oficial de Ciências surge pela última vez, agora para falar sobre o desastre na Lua do mundo natal Klingon, Praxis;
  • DeForest Kelley: A Tribute (SD, 13:50 min.) – Homenagem ao falecido ator que interpretou o Dr. “Magro” McCoy;
  • Original Interviews (SD, 43 min.) – Entrevistas do elenco gravadas em 1991;
  • Production Gallery (SD, 3:30 min.) – Não é uma galeria de produção, mas sim uma interessante (mas curta) coleção de cenas de bastidores;
  • Encerram os extras do disco 6 Storyboards, o belo Teaser comemorativo aos 25 anos da franquia (HD, 1:30 min.), o trailer de cinema (HD, 2.50 min.), e 1991 Convention Presentation by Nicholas Meyer (SD, 5 min.), um vídeo que Meyer gravou para apresentar uma prévia do filme em uma convenção de JORNADA NAS ESTRELAS.

THE CAPTAIN’S SUMMIT

  • O disco 7 do box contém apenas uma mesa redonda de 70 minutos (em HD), na qual Whoopi Goldberg (Guinan da NOVA GERAÇÃO) entrevista os atores William Shatner, Leonard Nimoy (Kirk e Spock da SÉRIE CLÁSSICA), Patrick Stewart e Jonathan Frakes (Picard e Riker da NOVA GFERAÇÃO). Nesta reunião inédita dos atores, eles falam sobre suas experiências nas séries e filmes e contam fatos engraçados. Talvez muitos fãs se espantem com a ignorância ou esquecimento deles em relação a vários aspectos de suas participações na franquia, mas não se deve esquecer que, acima de tudo, eles são profissionais, e não fãs.

Jorge Saldanha

25 comentários em “Resenha: Jornada nas Estrelas – Original Motion Picture Collection (Blu-ray)

  1. Pingback: Resenha: Star trek (Blu-ray) « Sci Fi do Brasil

  2. Pingback: Participações Especiais: Supernatural, Fringe, Doctor Who, « Sci Fi do Brasil

  3. Pingback: Resenha: Halloween (Blu-ray) | Sci Fi do Brasil

  4. Pingback: Star Trek e o Legado de Gene Roddenberry « Sci Fi do Brasil

  5. Pingback: Jornada nas Estrelas: A Revolução dos Anos 1960 | SCI FI do Brasil

  6. Pingback: Benicio Del Toro poderá ser o vilão de STAR TREK 2 | SCI FI do Brasil

  7. Pingback: Robert Easton (1930-2011) | SCI FI do Brasil

  8. Pingback: Ralph McQuarrie (1929-2012) | SCI FI do Brasil

  9. Pingback: 1982 – Há três décadas, o ano mais fantástico de Hollywood | SCI FI do Brasil

  10. Pingback: DOCTOR WHO: Participações especiais na 7ª Temporada | SCI FI do Brasil

  11. Pingback: ALÉM DA ESCURIDÃO – STAR TREK: Revelação de personagem feminina pode desvendar a verdadeira identidade do vilão « SCI FI do Brasil

  12. Pingback: JORNADA NAS ESTRELAS – ENTERPRISE: UMA BOA IDEIA MAL UTILIZADA? « SCI FI do Brasil

  13. Pingback: Gata Sci Fi: Alice Eve | SCI FI do Brasil

  14. Pingback: Resenha: ALÉM DA ESCURIDÃO – STAR TREK (Blu-ray 2D+3D) | SCI FI do Brasil

  15. Pingback: Harve Bennet (1930-2015) | SCI FI do Brasil

  16. Pingback: Novidades no Elenco da 4ª Temporada de ARROW | SCI FI do Brasil – O Portal da Ficção Científica em Português

  17. Pingback: Finalmente: STAR TREK retornará à TV em 2017 (ATUALIZADO) – SCI FI do Brasil – O Portal da Ficção Científica em Português

  18. Pingback: Sci Files: STAR TREK Vs STAR WARS! – SCI FI do Brasil – O Portal da Ficção Científica em Português

  19. Pingback: Novidades da Série STAR TREK: DISCOVERY (ATUALIZADO) – SCI FI do Brasil – O Portal da Ficção Científica em Português

  20. Pingback: Sci Files: Será que precisamos de outro Prelúdio de STAR TREK com DISCOVERY? – SCI FI do Brasil – O Portal da Ficção Científica em Português

  21. Pingback: Miguel Ferrer (1955-2017) – SCI FI do Brasil – O Portal da Ficção Científica em Português

  22. A gaiato constrói os seus conhecimentos interagindo com mundo nos quais vive e
    que seu pensamento cresce partindo de ações e não de palavras. http://kobylky.radobyl.eu/index.php?option=com_phocaguestbook&view=phocaguestbook&id=1&itemid=55

    Curtir

  23. Pingback: Resenha de Blu-ray: JORNADA NAS ESTRELAS II: A IRA DE KHAN (VERSÃO DO DIRETOR) – SCI FI do Brasil – O Portal da Ficção Científica em Português

  24. Pingback: Os 50 Anos de 2001 – Uma ODISSEIA NO ESPAÇO | SCI FI do Brasil - O Portal da Ficção Científica em Português

  25. Pingback: Sci Files: STAR TREK DISCOVERY – Revolucionando o Passado da Franquia | SCI FI do Brasil - O Portal da Ficção Científica em Português

Comente o conteúdo da postagem

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: