Filmes Resenhas - Trilhas Sonoras Séries

Resenha: Star Trek II: The Wrath of Khan – James Horner (Trilha Sonora)


ret128booklet.inddMúsica composta e regida por James Horner
Selo: Retrograde Records / FSM
Catálogo: FSM-80128-2
Lançamento: 2009
Cotação: *****

James Horner pode ser um dos compositores de cinema mais polêmicos, mas o fato é que muitas de suas trilhas sonoras, principalmente as do início de sua carreira, possuem qualidades indiscutíveis. O momento decisivo para o compositor chegou em 1982, quando a Paramount estava para lançar a aguardada primeira seqüência do controvertido Jornada nas Estrelas: O Filme (1979). Depois de despender 40 milhões de dólares no primeiro filme, o estúdio decidiu economizar e liberou apenas ¼ daquele valor para Jornada nas Estrelas II: A Ira de Khan. O aperto orçamentário não permitiu a presença, na equipe técnica do filme, de muitos nomes famosos – e portanto caros. Mas a escolha dos profissionais não pôde ser mais acertada, a começar pelo diretor e roteirista Nicholas Meyer, que dirigira em 1979 a interessante ficção científica Um Século em 43 Minutos. Para a música, Jerry Goldsmith, que compusera a famosa partitura de The Motion Picture, era caro demais, e o então praticamente desconhecido Horner, que criara scores de qualidade para filmes “B” como Humanóides das Profundezas e Mercenários das Galáxias, foi escolhido.

Segundo Horner, Nicholas Meyer contratou-o para fazer uma trilha com um senso de aventura em alto-mar, e indiscutivelmente teve sucesso nessa empreitada. Horner não titubeou em descartar o famoso tema criado por Goldsmith para o filme anterior, substituindo-o por um novo de sua autoria, ao qual agregou a introdução da música da série de televisão, de Alexander Courage. Este vibrante “Main Title”, dedicado ao almirante Kirk e à nave Enterprise, é o motivo propulsor do score: nele as dinâmicas orquestrações de cordas, metais e percussão são traduzidas pela orquestra de 94 instrumentos em uma interpretação acima da média. Outro tema importante é aquele dedicado ao vilão Khan – um motivo ameaçador, de quatro notas, que inicia em tom baixo para logo em seguida ser interpretado em alto volume pela orquestra, notadamente nos confrontos da nave de Khan, a Reliant, com a Enterprise, na faixa “Surprise Attack”.

Sendo a trilha que impulsionou a carreira de Horner, The Wrath of Khan contém um grande número de “Hornerismos” que se repetiriam em trabalhos subseqüentes (por exemplo, as fanfarras que são quase idênticas às de Krull, Rocketeer e outros filmes, o próprio tema de Khan, presente em trilhas como Círculo de Fogo e Tróia, etc.), agregados a composições extremamente criativas. Acima de tudo a partitura eficazmente captura a visão militarista/naval solicitada por Meyer, transmitindo um senso “náutico” que forma uma ótima coreografia com os visuais. Reparem na cena da Enterprise zarpando da doca espacial: Horner, com sua música, nos faz sentir como se estivéssemos assistindo à partida de um navio pirata comandado por Errol Flynn… De modo geral é uma partitura enérgica e voltada à ação, com seus pontos altos nas memoráveis batalhas “navais” entre as duas naves estelares (“Surprise Attack”, “Kirk’s Explosive Reply”), com alguns momentos contemplativos e líricos onde ouvimos o terceiro tema principal, dedicado ao vulcano Spock. Introduzido na faixa “Spock”, ele será plenamente desenvolvido pela orquestra em “Epilogue/End Title”, quando nos é revelado que o esquife do vulcano encontra-se intacto no Planeta Gênesis.

Em “Battle in the Mutara Nebula” o compositor cria efeitos de eco interessantes para metais e sopro, e faz referência à trilha de Goldsmith ao utilizar o “Blaster Beam”, instrumento de percussão metálico que no filme de 1979 representava a nuvem alienígena V’Ger. E em “Genesis Countdown”, que acompanha os esforços de Spock para afastar a Enterprise do local da explosão que poderá destruí-la, Horner cria uma das mais vibrantes peças de ação e heroísmo já escritas.  Em suma, A Ira de Khan pode não ser melhor que o trabalho anterior, de Goldsmith, mas sua grandeza épica a coloca entre as melhores trilhas de Jornada nas Estrelas. Encerrando-a com um toque especial, temos a voz de Leonard Nimoy citando as famosas palavras “Espaço, a Fronteira Final…” entre o epílogo e os créditos finais.

Originalmente lançada em LP em 1982, a trilha sonora de Star Trek II: The Wrath of Khan debutou em CD através do selo GNP Crescendo em 1990, que omitia trechos importantes do score, como as faixas que acompanham a apresentação do Projeto Gênesis (composição eletrônica criada por Craig Huxley, que toca o “Blaster Beam”), as mortes do Capitão Terrell, Spock e o ataque final da Enterprise contra a Reliant. Este material, e mais, agora pode ser ouvido neste relançamento expandido do selo Retrograde Records (da Film Score Monthly), que com som remasterizado adiciona 23 minutos de música em relação ao CD anterior e traz um encarte de 28 páginas repleto de fotos a cores e muitas informações sobre o filme e sua trilha. Uma edição à altura de uma das melhores partituras de Horner, que retornaria à franquia pela segunda e última vez em 1984 para Jornada nas Estrelas III: À Procura de Spock. Mas como que para dar razão aos seus críticos (que o acusam de reaproveitar grandes porções de seus scores anteriores em novos trabalhos), o compositor criou uma partitura “requentada”, com pouco material novo e o uso dos temas de A Ira de Khan com poucas alterações.

Faixas:

1. Main Title*
2. Surprise on Ceti Alpha V
3. Khan’s Pets
4. The Eels of Ceti Alpha V / Kirk in Space Shuttle*
5. Enterprise Clears Moorings
6. Chekov Lies*
7. Spock
8. Kirk Takes Command* / He Tasks Me
9. Genesis Project (Composed and Performed by Craig Huxley)
10. Surprise Attack
11. Kirk’s Explosive Reply
12. Inside Regula I
13. Brainwashed
14. Captain Terrell’s Death
15. Buried Alive
16. The Genesis Cave
17. Battle in the Mutara Nebula
18. Enterprise Attacks
19. Genesis Countdown
20. Spock (Dies)*
21. Amazing Grace
22. Epilogue* / End Title*
23. Bonus Track: Epilogue (original version)* / End Title*

*Contains “Theme From Star Trek (TV Series)” by Alexander Courage

Duração: 67:52

Jorge Saldanha

4 comentários em “Resenha: Star Trek II: The Wrath of Khan – James Horner (Trilha Sonora)

  1. spockhur

    Excelente trilha sonora. Uma das melhores entre todos os filmes de Star Trek.
    Vale uma resenha também de Star Trek IV – A Volta para Casa, mesmo que esta não tenha uma nova edição recente.

    Curtir

  2. A PROCURA POR SPOCK E A TERRA DESCONHECIDA TAMBEM ,

    Curtir

  3. Temos resenhas das trilhas de todos os filmes de Jornada na gaveta, aos poucos elas vão saindo!

    Curtir

  4. Pingback: Resenha: Krull – James Horner (Trilha Sonora) « Sci Fi do Brasil

Comente o conteúdo da postagem

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: