Resenhas - DVD e Blu-ray

Resenha: Final Fantasy (Blu-ray)


ffBDFINAL FANTASY
Produção: 2001
Duração:
107 min.
Direção:
Hironobu Sakaguchi, Motonori Sakakibara
Elenco: Alec Baldwin, Ming-Na, Steve Buscemi, Ving Rhames, James Woods, Donald Sutherland, Peri Gilpen, Keith David
Vídeo: Widescreen Anamórfico 2.85:1 (1080p/AVC MPEG-4)
Áudio: Inglês (PCM 5.1, Dolby Digital 5.1), Francês (Dolby Digital 5.1)
Legendas: Português, Inglês, Espanhol, Francês, Chinês, Coreano, Tailandês
Nº de discos: 1
Região:
A, B, C
Distribuidora: Sony
Lançamento:
16/12/2007
Cotações: Som: **** Imagem: ***** Filme: ***½ Extras & Menus: ***½ Geral: ****

SINOPSE
Em 2046, a Terra foi invadida por uma raça de alienígenas – os Espectros – que possuem a capacidade de matar as pessoas extraindo os seus espíritos. Após a destruição em massa, os humanos sobreviventes refugiam-se em algumas cidades que são protegidas por escudos de bio-energia. A Drª. Aki Ross (Ming-Na) e seu mentor, Dr. Sid (Donald Sutherland), descobriram que a energia de oito espíritos da Terra pode anular e destruir os Espectros. Com a ajuda do Capitão Edwards (Alec Baldwin) e seus fuzileiros do Esquadrão Olhos Profundos, eles precisam descobrir os dois espíritos que faltam, antes que o General Hein (James Woods) convença as autoridades a atacar os aliens com um canhão orbital que poderá também destruir a Terra.

COMENTÁRIOS
Ainda hoje, oito anos após seu lançamento nos cinemas, há várias razões para que se assista FINAL FANTASY (FINAL FANTASY: THE SPIRITS WITHIN). A mais óbvia é que você estará assistindo a uma animação digital que impressiona mesmo se comparada com a tecnologia atual, uma vez que o nível de realismo das imagens geradas em computador (CGI) não avançou muito mais do que o visto neste longa-metragem inspirado pela famosa franquia de games da produtora Square. Tirando a falta de uma melhor proporcionalidade nos corpos dos atores digitais (principalmente os masculinos), este FINAL FANTASY parece ter sido realizado hoje.

Contudo, o esmero técnico não salvou o filme de ser um grande fracasso de bilheteria – mesmo contando com a co-participação do criador da série, Hironobu Sakaguchi, na direção, roteiro e produção, ele gerou um enorme prejuízo do qual até hoje a Square Enix não se recuperou totalmente. A crítica maior veio exatamente dos fãs, que esperavam algo mais próximo aos enredos dos jogos, e no lugar receberam personagens e história totalmente inéditos. De fato, exceto pelo título Final Fantasy, muito pouco remete aos games – apenas alguns poucos elementos, como o conceito da força vital da Terra – Gaia. Mas os fãs foram compensados com o lançamento de FINAL FANTASY VII: ADVENT CHILDREN – mas aí já é outra resenha…

Da minha parte, sempre simpatizei com esta produção, que possui uma ótima trilha sonora de Elliot Goldenthal e que, ao contrário da ampla maioria das animações feitas em computação gráfica que chegam todos os anos aos cinemas, é um filme com um conteúdo filosófico e de ficção-científica sério, que não esconde suas raízes espirituais. Complementando a ótima animação digital (Aki e o Dr. Sid são os mais realistas), os atores Ming-Na, Alec Baldwin, Donald Sutherland, James Woods, Ving Rhames, Steve Buscemi, Peri Gilpen e Keith David fizeram um ótimo trabalho nas vozes dos personagens. James Woods particularmente se saiu muito bem como o vingativo General Hein. Pena que o filme não foi um sucesso – Aki poderia ter se consagrado como a primeira sex symbol digital do cinema.

O BD
Em 2001, FINAL FANTASY foi o primeiro DVD lançado a partir de uma matriz 100% digital, e o resultado, mesmo em definição standard 480p, foi estupendo. Em agosto de 2007, com seu lançamento em Blu-ray nos EUA, os resultados se repetiram, e o filme, usando um encode 1080p/AVC MPEG-4, mostrou uma imagem simplesmente excelente. A transferência anamórfica 1.85:1 é irretocável, com um elevado nível de detalhes que ressalta cada fio de cabelo e textura da pele dos personagens. As cores possuem uma saturação perfeita, com tons de pele naturais e níveis de preto excelentes. Com a eliminação da película, inexistem quaisquer traços de granulação, oscilações, sujeiras ou danos, e algumas sequências impressionam pelo foto-realismo.

Por ser um dos primeiros lançamentos da Sony no formato, a faixa lossless disponibilizada em inglês foi PCM 5.1 (48kHz/4.6Mbps), caracterizada por uma elevada faixa dinâmica, o ativo uso dos efeitos surround, diálogos cristalinos, volume no nível certo, graves potentes e inexistência de quaisquer distorções. As outras opções de áudio, em inglês e francês, são Dolby Digital 5.1 em um bitrate bem inferior (640kbps), mas que são ótimas dentro dos padrões do formato. Ao contrário da versão em DVD, não há opção de dublagem em português. Já as legendas do filme estão disponíveis em português, inglês, espanhol, francês, chinês, coreano e tailandês, com os menus apresentados apenas em inglês. Ao contrário do DVD duplo, que em 2001 recebeu uma embalagem caprichada, com direito até a encarte (bons tempos!), a do BD é simplória.

OS EXTRAS
O material suplementar de FINAL FANTASY explora de forma competente os bastidores de uma produção digital, trazendo os principais extras que foram lançados em DVD – apenas com uma omissão importante, que citaremos abaixo. Apesar de todos os vídeos serem anamórficos, eles estão apenas em resolução 480p/i/MPEG-2, com áudio em inglês 2.0 e lamentavelmente sem opção de legendas em português.

  • Comentários em áudio – Podemos assistir ao filme acompanhado por duas faixas de comentários em áudio: a primeira com as participações do diretor de animação, diretor de cenário e editor; a segunda, com o co-diretor e vários membros da equipe. Aqui, ocorreu uma perda lamentável em relação ao DVD, que também incluía a opção de ouvir a trilha musical isolada com comentários em áudio do compositor Elliot Goldenthal;
  • Aki’s Dream Reconstruction (9:02 min.) – Compilação de todas as cenas de sonhos de Aki vistas no filme, unidas em uma só sequência;
  • On the set with Aki (0:55 min.) – Curto segmento onde vemos Aki, em CGI, sair de uma cena do filme e interagindo com pessoas reais, para ver a “filmagem” em um computador;
  • Compositing Builds (7:46 min.) – Em várias cenas, temos uma demonstração da complexa construção dos elementos tridimensionais do filme em várias camadas de CGI;
  • Joke Outtakes (1:51 min.) – Erros de gravação (isso mesmo, em animações primárias), que ao final são mais divertidos do que você possa pensar;
  • Matte Art Explorations (6:13 min.) – Ao contrário do que se pensa, em FINAL FANTASY nem tudo foi feito em computação gráfica. Um animador mostra como exuberantes fundos pintados à mão foram mesclados perfeitamente com objetos e personagens CGI;
  • Original Opening (4:54 min.) – Interessante cena de abertura alternativa;
  • The Gray Project (5:37 min.) – A fim de aprovar a produção de FINAL FANTASY (inicialmente conhecido como Gray Project), os animadores tiveram de criar exemplos para demonstrar que poderiam colocar na tela, de forma realista, seres humanos digitais. É isso que vemos aqui, em animações com acabamento rudimentar;
  • Interactive Documentary: The Making of Final Fantasy (30:49 min.) – O principal extra aborda os temas tratados no filme, os processos de animação e dublagem e vários outros aspectos da produção. Durante a reprodução você tem a opção de, usando o controle remoto, acessar vídeos adicionais que aprofundam o assunto tratado, o que aumenta substancialmente a duração do documentário;
  • Character Profiles – Sete perfis, cada um com duração que varia de 2 a 3 minutos, que descrevem os principais personagens do filme e também mostram seus respectivos animadores e dubladores;
  • Vehicle Scale Comparisons – Comparações de escalas de três veículos do filme (tamanho, peso, velocidade, etc.) com veículos de nosso mundo real;
  • Trailer Explorations (4:50 min.) – O criador do trailer do filme é entrevistado, e descreve o esforço para divulgar o apelo de FINAL FANTASY para uma grande audiência;
  • Trailers – Foram incluídos o teaser e o trailer de FINAL FANTASY, além de outros lançamentos em BD da Sony;
  • Easter Eggs – O BD de FINAL FANTASY inclui dois extras ocultos. Para acessar o primeiro (um slideshow), vá para o menu de seleção de cenas e pressione o direcional “para cima” do controle, a fim de que surja um ícone circular no canto esquerdo inferior da tela. Aperte a tecla “enter”. O segundo é mais divertido, e agradará aos fãs do recentemente falecido Michael Jackson: na seção de extras (Special Features), selecione Previews para acessar a lista dos trailers disponíveis. Role até à direita e passe por ULTRAVIOLET e GHOST RIDER para encontrar um ícone oculto. Clique “enter” e assista a uma paródia do célebre videoclipe da música “Thriller”, com o elenco virtual do filme.

Jorge Saldanha

6 comentários em “Resenha: Final Fantasy (Blu-ray)

  1. Pingback: Resenha: Final Fantasy VII – Advent Children Complete (Blu-ray) « Sci Fi do Brasil

  2. Roberto

    Um filme injustiçado pelo público do ocidente.

    Gostei demais dele.

    Curtir

  3. Adorei, uma das melhores animações já produzidas, visual incrível, conteúdo de primeira, excelente dblagem, trilha sonora envolvente, ação e efeitos sensacionais garantem a diversão. Na minha opinião, a única animação que ultrapasou o realismo de Final Fantasy foi A Lenda de Beowulf (2007), e olha que foi por pouco, hein!!!

    Curtir

  4. Hebert

    como assisto?

    Curtir

  5. Hebert

    se alguem soube não exite em me chamar.

    Curtir

Comente o conteúdo da postagem

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: